Patriots Austin Carr

A febre Austin Carr em New England

Este ano demorou para ela aparecer, mas finalmente surgiu a febre da pré-temporada em New England e ela se chama Austin Carr. Toda temporada é assim, durante o training camp e os 4 jogos preparatórios, um jogador desconhecido, normalmente do ataque, aparece com boas atuações e vira o queridinho da torcida.

A febre Austin Carr em New England

Eu tenho que confessar que ainda não fui pego por ela. Acho que a vacina que tomei da febre Zach Zudfeld (foi forte essa) e o resquício que tive na febre Chris Harper, me deixaram mais forte e imune a essa de Austin Carr.

Austin tem o background perfeito, vem de bons números feitos em uma universidade pequena, foi ignorado no draft (o que estranhou muita gente) e surgiu aos poucos nos gramados atrás do Gillette Stadium.

Mas foi no primeiro jogo da preseason contra o Jaguars, que Carr mostrou sua capacidade e habilidade como recebedor, ganhando a atenção de todos, principalmente da torcida Patriota.

O grande problema, é que Austin Carr apareceu na hora errada. Temos um dos melhores corpo de wide receivers da liga e simplemente os Patriots não precisam dele para 2017.

Mas, a pulga atrás da orelha acontece quando pensamos no futuro próximo. Austin é um bom receiver de slot, posição que logo mais logo menos vamos precisar. Hoje temos Edelman, supremo neste job, e Amendola, sendo uma carta na manga (como falamos aqui). Porém os dois já estão acima dos 30 e logo não vamos poder contar com nenhum deles, e é aí que manter Austin Carr seria uma ótima jogada.

Como dissemos acima, entrar puramente através do corpo de receivers é a chance mais complicada para ele este ano.

Portanto, teríamos que encontrar alternativas que encaixariam o receiver no elenco final.

Por corte de Cyrus ou Richards

Muitos já falam que cortar Cyrus Jones ou Jordan Richards, seria a movimentação mais inteligente, já que os 2 não produzem praticamente nada durante a temporada regular. Eu vejo essa como uma boa opção, mas as lesões recentes na linha defensiva junto com um corpo inexperiente de Defensive Ends, me faz acreditar que se houver um corte de um dos dois citados, será para dar mais profundidade ao front 7 e não para encaixar o jovem receiver.

Por lesão de algum jogador

A forma mais certeira para Austin fazer parte do elenco final, seria entrar por alguma lesão de outro jogador, principalmente um receiver. Muito se fala que Matthew Slater pode iniciar a temporada na PUP List, o que em tese seria uma vaga entre os recebedores. Porém Slater é WR de nome mas seu trabalho real é no special teams.

Com Slater não iniciando o ano ativo, não vejo Belichick dando sua vaga para um jogador que não contribua nos times especiais.

Practice Squad

A forma mais arriscada seria cortar Austin Carr e torcer para que ele não fosse chamado por nenhuma outra equipe e voltasse no practice squad. Mas se o jogador continuar mostrando talento nos 3 jogos seguintes, é muito difícil uma equipe não se interessar por ele. Teríamos que contar com a sorte, que ano passado não esteve ao nosso lado, já que Cre’von LeBlanc e Krugier-Hill foram para outras equipes e tiveram um bom ano.


As chances não são simples, mas se o garoto ganhar não só o coração da torcida mas também o de BB, ele vai encontrar uma forma de colocar Austin no elenco.

Se eu, Felipe, estivesse no lugar de Carr, daria meu máximo nas próximas 3 semanas e, principalmente, mostraria para Belichick que posso evoluir e contribuir no special teams. Se Carr conseguir mostrar qualidades como gunner, por exemplo, essa febre de 2017 pode se tornar algo maior e não acabar em um resfriado como todas as outras. Como sempre, o special teams faz a diferença em New England!

O Patriotas também está no Youtube com as análises em vídeo do De Dentro do Campo.

5 thoughts on “A febre Austin Carr em New England

  1. Eu estou nessa febre e vou explicar pq:
    Pra começar concordo com vc, nossos 2 WR de slot estão chegando no fim de carreira, um deles é sempre poupado por seu passado de lesões (Amendola), o outro (Eldeman, que confio mais) é apenas 1 ano mais novo, e seu jogo é predominantemente na área mais povoada do campo, a sorte é que o MINITRON é muito forte. Não sei se ambos vão estar ano que vem no elenco.
    Outra, acho ele muito parecido física e tecnicamente com o Eldeman, com um PLUS a mais, pois acho ele mais rápido (talvez pela idade), fazendo também o fundo do campo (é só ver os videos dele).
    https://www.profootballfocus.com/news/college-football-3-reasons-northwestern-austin-carr-cfb-best-slot-receiver
    https://www.landof10.com/northwestern/pro-football-focus-grades-northwestern-wr-austin-carr-as-best-in-nation
    E pra terminar, o que me chamou mais atenção foi ele ter sido bem classificado no PFF como um recebedor de boas mãos. Isso pra mim é primordial, pois lembro do Brandon LaFell, e dava raiva ver esse cara jogar.
    Acho que vale a pena tentar, já erramos com Undrafted, mais já acertamos como também erramos com draftados e free agents. Se a troca der certo, teremos um WR por mais 4 anos pelo menos.
    Ansioso para esta lista dos 53.

    1. Coitado do LaFell, ele foi muito mal na segunda temporada com os Patriots, cometendo drops terríveis. Lembro de um jogo que ele teve uma meia dúzia de drops. Eu sei que essa imagem marca. Entretanto, ele muito bem no primeiro ano. Foi fundamental no nosso título. Naquela temporada ele teve algumas recepções de Back Shoulder Pass inacreditáveis, que entram em qualquer Top-TD’s do Brady. Dessas lembro particularmente de uma contra os Packers e da final da AFC contra os Ravens, quando viramos o jogo. LaFell GOAT!!!!! kkkkkkk

Deixe uma resposta