Derek Rivers

Sem Derek Rivers, Patriots precisam reforçar o pass rush

Na semana passada, um baque atingiu o pass rush dos Patriots: o defensive end Derek Rivers rompeu os ligamentos do joelho e deve perder toda a temporada.

Sem a escolha de terceira rodada, New England precisará se movimentar para melhorar a qualidade do questionado setor de DEs.

Sem Derek Rivers, Patriots precisam reforçar o pass rush

Atualmente, o atual campeão do Super Bowl possui sete defensive ends no elenco: Trey Flowers, Kony Ealy, Deatrich Wise, Harvey Langi, Geneo Grissom, Caleb Kidder e Keionta Davis.

Desses listados, o único que já conta com a confiança da torcida é Flowers – titular absoluto para a temporada. Nos outros, as duvidas pairam no ar.

Kony Ealy ainda não está habituado ao sistema defensivo dos Patriots e vem sofrendo com isso. Deatrich Wise é uma escolha de quarta rodada e, apesar de vir treinando bem, talvez não esteja pronto para assumir a titularidade de cara.

Harvey Langi, projetado para ter sido escolhido pelos Pats em 2016, não foi draftado em 2017. Geneo Grissom em dois anos de New England ainda não produziu e Caleb Kidder, UDFA, chegou no decorrer do training camp. Keionta Davis está machucado e não vem treinando.

Portanto, pode-se afirmar que a posição de defensive end é a mais fraca do elenco poderoso dos Patriots. Faltando menos de três semanas para a volta da NFL, Bill Belichick precisará se movimentar para melhorar o grupo.

Para isso, há três opções:

Buscar no mercado de free agents

Mais de cinco meses do período fervente da free agency se passaram, com isso, poucas opções de qualidade ainda estão disponíveis.

Um nome interessante para os Patriots seria o do veteraníssimo Dwight Freeney, que esteve em campo no Super Bowl LI pelo Atlanta Falcons.

Com 37 anos, ele é um dos principais pass rushers da NFL no século. Freeney, com a idade avançada, serviria para terceira descidas, fazendo uma espécie da função de Chris Long no fim da temporada passada.

Outros três nomes a se monitorar são Jared Odrick (visitou os Patriots nesta offseason), Mario Williams e Paul Kruger.

Resultado de imagem para mario williams
Williams já é um velho conhecido dos Patriots, tendo atuado na AFC East desde 2012, seja por Bills ou Dolphins.

Procurar uma troca

Bill Belichick foi muito ativo durante o começo da offseason. Perto da temporada começar, o técnico dos Pats também costuma fechar negócios para dar um toque final no elenco.

Uma troca envolvendo jogadores precisa ser monitorada. Ano passado, New England enviou Josh Kline ao Philadelphia Eagles pelo CB Eric Rowe.

Portanto, em posições que há uma profundeza maior – como a de RB, sendo um possível candidato Dion Lewis que aparenta estar atrás no depth chart, – deve-se ficar de olho num cenário de troca.

Falar de alvos para tentar fechar um negócio é complicado. O jornalista Mike Reiss, da ESPN americana, mencionou nomes como Jeremiah Attaochu (Chargers), Eli Harold (49ers), Michael Johnson (Bengals) e Kerry Wynn (Giants).

Resultado de imagem para jeremiah attaochu
Attaochu em ação contra os Patriots, na temporada 2015.

Convencer Rob Ninkovich a voltar da aposentadoria

Além da lesão de Derek Rivers, um dos motivos para os Pats ficarem escassos de DEs foi a aposentadoria de Rob Ninkovich.

O ídolo da franquia pendurou as chuteiras há menos de um mês. Deste período em diante, Ninkovich ainda aparenta estar muito conectado com New England. Inclusive, ajudando nos treinos.

Certamente, esse é o cenário mais improvável, tendo em vista o curto período passado que o jogador tomou a decisão de se aposentar. Todavia, caso demonstre vontade de voltar, seria uma ótima para o pass rush do atual campeão.

Resultado de imagem para rob ninkovich
Será que Ninkovich estaria disposto a retornar aos gramados?

Seja indo no mercado, fazendo uma troca ou buscando Ninkovich da aposentadoria, o certo é que os Patriots precisarão reforçar seu grupo de defensive ends para a temporada 2017.

Deixe uma resposta