Draft

Draft 2017: O que disseram as escolhas?

O draft 2017 acabou mas as escolhas dos Patriots tiveram tempo de falar com a imprensa. Confira a primeira entrevista feita por eles como jogadores dos Pats.

Draft 2017: O que disseram as escolhas?

DE DEREK RIVERS

Q: Qual foi sua reação quando foi selecionado pelos Patriots?

DR: Cara, eu fiquei tremendo. Fiquei muito feliz. Foi uma benção.

Q: Você pareceu ter bastante contato pré-draft com os Pats. E você achava que seria escolhido por eles?

DR: Não, eu me encontrei com Belichick e a comissão, fora isso não fazia ideia.

Q: Como foi a reunião com Belichick?

DR: Foi incrível. Falamos sobre o jogo, adoro Belichick. Adoro o que ele é e sua ética de trabalho, maneira de trabalhar. Pude aprender muito com ele.

Q: Como você foi parar em Youngstown State?

DR: Não fui muito recrutado saindo do High School, então fui para Fork Union (Academia Militar) e a YU veio e me ofereceu a proposta, estava pronto para jogar.

Q: Por que você decidiu permanecer em Youngstown?

DR: Porque era o lugar que eu amava. Amava todos treinadores que ajudaram meu desenvolvimento, a cidade, e porque eu sabia que não importava onde você estudava e sim o que fazia no campo.

Q: Você assistiu o Super Bowl?

DR: Claro

Q: Qual seu sentimento em chegar ao time vencedor do Super Bowl LI?

DR: Extraordinário, estou muito feliz. Há tanta coisa que posso aprender com esses caras, o comprometimento que eles têm, o tipo de trabalho que eles possuem naquele vestiário. Estou pronto para aprender e me desenvolver com estes caras.

Q: Que tipo de jogador New England ganhará com sua aquisição?

DR: Como costumo dizer, sou uma pessoa ética nas coisas que faço. Deus me deu isso, é o que me trouxe até aqui, faço mais do que me pedem para fazer, e este é o jogador que chega em New England, uma pessoa que faz mais que o pedido e tudo que os técnicos quiserem. Escuto tudo que meus técnicos querem que eu faça e faço, dando meu máximo.

OL ANTONIO GARCIA

Q: Qual foi sua reação em ser escolhido pelos Patriots?

AG: Estou muito feliz, foi muito bom ouvir meu nome sendo chamado. Estou extremamente agradecido e pronto para contribuir ao time com o que tenho de melhor.

Q: Belichick mencionou que você esteve em Foxboro para uma visita. Quais foram suas conclusões após essa visita?

AG: Ambiente ótimo, pessoas ótimas. Passei um tempo bom por lá, foi ótimo conversar com os técnicos. Espero ir para lá logo.

Q: O que você sabe sobre o treinador de OL Dante Scarnecchia?

AG: Pouco

Q: O quão ansioso você está para trabalhar com um treinador de carreira tão brilhante?

AG: Eu sei que os Pats são vencedores, estou ansioso para trabalhar com todos treinadores, especialmente com Dante. Conheci ele, batemos um papo, espero ficar melhor sob seu comando.

Q: Como você descreveria seu estilo  de jogo?

AG: Físico e agressivo.

Q: Era um sonho seu, como LT, proteger um cara como Tom Brady?

AG: Absolutamente, é o que você sonha. Ele é um dos melhores, darei o meu melhor para protegê-lo, será uma honra.

Q: O quanto jogar outros esportes quando criança o ajudou a jogar como tackles?

AG: Acho que me ajudou bastante. Joguei basquete na universidade, acho que tenho algum atletismo, capacidade de pular e imitar movimentos. Acho que me ajudou sim.

Q:É verdade que você não cedeu nenhum sack na última temporada?

AG: Verdade absoluta.

Q: Você se lembra a última vez que cedeu um sack?

AG: Não lembro não. Sei que faz bastante tempo.

Q: Como você foi de pouco recrutado saindo da High School a um jogador selecionado na terceira rodada?

AG: Acho que passa muito pelo desenvolvimento no college. Não importa onde ou quando você começa e sim onde você termina. A escola que você vai é menos importante que suas atuações.

DE DEATRICH WISE E CONNOR MCDERMOTT

McDermott falou sobre seu workout privado com o assistente de OL dos Pats, também mencionou o sonho que é jogar nos Patriots, o peso ganhado desde a entrada na universidade e sua capacidade de jogar como TE.

Wise chamou o momento da escolha de “momento de alegria geral”, também chamou o futuro companheiro de time, Trey Flowers, de irmão mais velho (jogaram juntos em Arkansas). Além disso mostrou vontade de superação, quer mostrar do que é capaz quando saudável, com sua força e versatilidade.


Não conhece estes jogadores? Fizemos posts de introdução sobre os quatro, confira.

Deixe uma resposta