Comissão Bill Belichick New England Patriots

Draft 2017 fecha com chave de ouro um planejamento minucioso de Belichick

Se fosse torcedor de qualquer outra franquia da NFL, e meu time só saísse do Draft com quatro escolhas, sendo nenhuma de primeiro e segundo round, estaria escrevendo hoje para pedir a saída do General Manager.

Mas, como meu time é o New England Patriots, venho enaltecer, mais uma vez, Bill Belichick.
Essa pode ter sido a melhor offseason da história recente dos Pats.

Draft 2017 fecha com chave de ouro um planejamento minucioso de Belichick

O recrutamento dos Patriots começou há mais de um mês. Para ser específico, dia 8 de março, quando o time enviou uma escolha de quarta rodada para o Indianapolis Colts em troca do TE Dwayne Allen e uma escolha de sexta rodada.

Mesmo com a talentosa classe de TE do Draft 2017, Belichick quis repôr a saída de Martellus Bennett com um jogador mais experiente e apto a contribuir de antemão.

Um dia após a chegada de Allen, foi a vez de Stephon Gilmore pousar em New England. O cornerback aceitou um contrato de 5 anos recebendo $65 milhões.

A vinda de Gilmore preencheu a saída de Logan Ryan para o Tennessee Titans. Malcolm Butler, que teve seu nome envolvido com o New Orleans Saints, ficará nos Patriots. Com isso, a temporada 2017 reunirá três cornerbacks (além dos dois, Eric Rowe) de muito talento, fazendo a secundária de New England uma das mais fortes da NFL.

No dia 10 de março, os Pats promoveram a movimentação mais barulhenta da offseason, ao enviar sua escolha de primeira e terceira rodada aos Saints pelo WR Brandin Cooks e uma escolha de quarta rodada.

A contratação de Cooks foi criticada por parte da torcida pelo fato de ceder nossa primeira escolha. Mas, ao fim da última quinta-feira (27), foi visto que Belichick acertou mais uma vez. Três wide receivers foram selecionados no top 10. Na hora da nossa pick, a 32ª, não tinha nenhum talento disponível que chegasse perto de ser melhor que Brandin.

Ainda no dia 10 de março, mais uma troca. Já sem escolha no primeiro round, os Patriots enviaram a sua de segundo pelo DE Kony Ealy e uma de terceiro.

Ealy, apesar de não ter tido um grande 2016, já mostrou que pode render muito. Com as saídas de Chris Long e Jabaal Sheard, o defensive end veio para ocupar um desses espaços.

Após dois dias em que o time cedeu três escolhas de Draft, New England só foi voltar a mexer com suas picks semana retrasada. Sem LeGarrette Blount, os Patriots buscaram Mike Gillislee, e para isso deram sua quinta rodada.

Para finalizar, a última pick que os Pats trocaram por um jogador foi no sábado (29). O time de Foxborough enviou sua outra escolha de quinta rodada pelo TE James O’ Shaughnessy e uma escolha de sexta.

Draft 2017 serviu para abastecer a maior necessidade deste ano e do próximo

O principal problema dos Patriots em 2016 foi, sem dúvidas, o pass-rush. Bill Belichick estava muito ciente disso.

Na nossa primeira seleção, veio o DE Derek Rivers, a sack machine que faltava no elenco. Rivers brigará pela posição de titular ao lado de Trey Flowers.

Na terceira escolha, mais um pass-rusher. Deatrich Wise, que tem características que costumam agradar os Pats, como versatilidade e alto QI, chega para participar da rotação.

No que seria nossa maior necessidade em 2018, com apenas um jogador sob contrato (Marcus Cannon), Belichick deu longevidade para os offensive tackles.

Antonio Garcia e Conor McDermott chegaram e serão lapidá-los pelo mestre Dante Scarnecchia. Caso ninguém se lesione, eles nem precisarão entrar em campo em 2017.

Visão geral

Com praticamente todas as necessidades preenchidas na free agency (RB, CB e TE), os Patriots foram muito objetivos no recrutamento e eficientes com suas seleções.

No papel, foram apenas quatro escolhas no Draft, o menor número na história da franquia. Porém, a verdadeira classe 2017 do New England Patriots foi essa:

1 – WR Brandin Cooks
2 – DE Kony Ealy
3 – DE Derek Rivers
3 – OT Antonio Garcia
4 – TE Dwayne Allen
4 – DE Deatrich Wise
5 – RB Mike Gillislee
5 – TE James O’ Shaughnessy
6 – OT Conor McDermott

3 thoughts on “Draft 2017 fecha com chave de ouro um planejamento minucioso de Belichick

  1. Além desses, parece que o Patriots está mandando bem nos undrafted, conseguindo bons prospectos como o Harvey Langi (LB da BYU), Josh Augusta (DT de Missouri) os safeties David Jones (Richmond) e Damarius Travis (Minnesota). Todos são considerados alguns dos melhores prospectos dos que sobraram, o Langi tinha projeção de ser selecionado no 4 round.

  2. Foi um excelente trabalho de bastidor, e o time de 2017 será melhor que o que disputou o último Superbowl. Acredito que teremos time para disputar título pelos próximos 3 anos!

  3. Não sei exatamente como funciona a contratação dos undrafteds, porém, nessas horas possivelmente o nome da franquia deve falar alto pra trazê-los pra cá quando comparado aos outros times.

Deixe uma resposta