O que manter, ajustar e melhorar nos Patriots

Mais quatro jogos dos Patriots se passaram, ou seja, é hora de analisar o que precisa ser mantido, ajustado e melhorado no time para a reta final da temporada regular.

O que manter, ajustar e melhorar nos Patriots

Manter:

Wide receivers:

Principal nome do grupo, Julian Edelman tinha começado o ano com uma contribuição abaixo da sua média. Porém, nas últimas quatro semanas, o ex-QB voltou a sua forma vintage e é peça crucial para o sistema ofensivo dos Pats. Além de Jules, Malcolm Mitchell também apareceu mais. O rookie está “on fire”, vivendo seu melhor momento na carreira até agora. Chris Hogan continua sendo produtivo em big plays e aparecendo em momentos importantes. Com a lesão de Dola, D.J. Foster poderá ser improvisado de WR.

Running backs:

Que grupo incrível de RBs! E o que mais impressiona: é o mesmo do ano passado. LeGarrette Blount está voando e deverá ter sua melhor temporada da carreira em jardas corridas, além de, provavelmente, bater o recorde dos Patriots de mais touchdowns corridos numa temporada. Dion Lewis, que está ganhando mais snaps gradativamente, aparenta ser o mesmo de 2015, o que é ótimo. James White, continua bem recebendo passes, sendo muito produtivo pra um terceiro running back. Com a ausência de Gronk, espero ver mais formações com 2 RBs (Lewis e White) na hora do passe.

Defensive tackles:

Grande destaque da posição, o veteraníssimo Alan Branch vem tendo mais uma ótima temporada. Junto dele, Malcom Brown vem evoluindo. O segundoanista foi um grande steal dos Pats no draft 2015, e tem tudo para ficar anos em Foxborough. Vincent Valentine, escolha de terceiro round deste ano, é o melhor calouro DT da NFL em produtividade no pass rush, segundo o Pro Football Focus, além de ser o segundo contra a corrida. Juntos, os três formam a décima melhor defesa contra o jogo corrido.

Offensive linemen:

Hoje, a linha ofensiva dos Patriots é a 8ª melhor da NFL. Com o material humano que temos, é quase impossível conseguir algo melhor que isso. Ano passado, a OL era a 19ª da liga. Em 2014, quando fomos campeões, ela era a 5ª. Portanto, com esses números atuais, não vejo a linha comprometendo nos playoffs, o que importa. Destaque para Marcus Cannon, que discutivelmente é nosso melhor jogador do grupo.

Ajustar:

Tight ends:

O setor perdeu seu principal nome, Rob Gronkowski, e agora sem ele precisará fazer uns ajustes para que possa ter um desempenho melhor. Martellus Bennett aparenta não estar totalmente recuperado da lesão no tornozelo, a qual está o limitando nas partidas. Matt Lengel, agora o TE reserva, ainda não aprendeu todo o playbook, e teve menos oportunidades do quê o OL Cameron Fleming, que foi improvisado de recebedor. Uma opção no practice squad é o FB/TE Gleen Gronkowski.

Cornerbacks:

Malcolm Butler está tendo uma temporada fenomenal, sendo avaliado como quarto melhor CB da liga pelo PFF. Contudo, a indefinição de quem será o CB 2 tem que acabar. Eric Rowe vem tendo sólidas atuações, e Logan Ryan está com um desempenho melhor no slot. Justin Coleman, que ficou inativo por três semanas seguidas por opção técnica, tende a ser a última opção para a posição. Com os playoffs batendo na porta, a “oficialização” de Rowe como segundo CB deve ser feita.

Safeties:

Após ter em 2015 uma temporada acima da média contra o passe, Patrick Chung está voltando a falhar contra essa jogada. Ele, é verdade, vem atuando mais como um terceiro LB, porém, não isenta sua culpa contra os recebedores adversários. McCourty continua seguro e pouco visto durante os jogos, o que é ótimo. Duron Harmon, assim como D-Mac, continua o bom reserva que conhecemos. Já Jordan Richards, cada vez mais reafirma seu status de bust, como era previsto desde sua escolha.

Linebackers:

Assim como foi dito com os cornerbacks, ainda há uma indefinição de quem é o segundo principal do setor. Kyle Van Noy, que recém chegou de Detroit, vem agradando muito, principalmente, por estar indo bem no pass rush e ser sólido contra o passe. Hightower continua ótimo como sempre, o capitão é um dos principais responsáveis por parar os jogos corridos adversários. Elandon Roberts vinha ganhando destaque, mas sua deficiência contra o ataque aéreo o fez perder espaço. O querido da torcida, Barkevious Mingo, não consegue passar de ser um jogador de special teams, e o motivo disso é desconhecido.

Melhorar:

Defensive ends:

Mas os DEs não melhoraram nas últimas semanas? Sim, concordo. Porém, não o suficiente para dizer que “está tudo perfeito”. Além do mais, os Patriots enfrentaram péssimas linhas ofensivas, como a dos 49ers e Rams. Atualmente, o time é o 15° com mais sacks na NFL. Em comparação com os Broncos, que estão em primeiro, são 10 sacks a menos. Chris Long começou a temporada voando, deu uma caída e agora está voltando a jogar bem. Sheard deu uma melhorada, mas ainda não está perto de ser o de 2015. Flowers e Ninkovich estão rendendo na rotação.

Concorda? Comente aqui embaixo.

Deixe uma resposta