Como foi a temporada das escolhas do Draft 2016

Como foi a temporada das escolhas do Draft 2016

Igual ao ano passado, vamos avaliar como foi o ano de calouro das escolhas dos Patriots no Draft 2016.

Como foi a temporada das escolhas do Draft 2016

CB Cyrus Jones – Pick 60

Draft 2016

Primeira escolha de New England, Cyrus Jones chegou para ajudar na profundidade do grupo dos CBs e nos retornos de kickoff e punt. Porém, não conseguiu nem um nem outro.

No início, Jones não mostrou nada de especial, contudo, também não aparentou ser um problema para os Pats. Ao decorrer da temporada, Cyrus foi cometendo erros na marcação e forçando retornos que eram para ser touchbacks.

Na semana 14, o ápice da sua má fase chegou. O cornerback cometeu um fumble contra o Baltimore Ravens, que deu início a reação do oponente e quase fez New England perder o jogo.

Desde então, Jones ficou na “casinha do cachorro”, atuando apenas na semana 16, ficando de fora do resto da temporada por opção técnica. Um desfecho melancólico para sua temporada de rookie.

Com 3 anos de contrato restantes, Cyrus terá chance de mudar a visão da torcida sobre ele. Inclusive, falou abertamente sobre o ano de 2016.

Avaliação do ano de calouro da escolha: Péssima

LG Joe Thuney – Pick 78

Draft 2016

Em busca de um jogador de linha ofensiva, os Patriots trouxeram no Draft o guard Joe Thuney. Rapidamente, o calouro se adaptou ao sistema de Dante Scarnecchia e assumiu a titularidade absoluta do interior esquerdo da linha de New England.

Thuney começou muito bem a temporada, cedendo quase nenhum sack e sendo utilizado, praticamente, em 100% dos snaps.

Na segunda metade do ano, Joe teve uma pequena queda de produção, normal para um calouro, mas nada que comprometesse. Thuney teve problema com holdings.

Olhando para a temporada como um todo, foi um baita ano de rookie para Joe Thuney, que tem tudo para ser o LG titular dos Pats até o fim da década.

Avaliação do ano de calouro da escolha: Ótima

QB Jacoby Brissett – Pick 91

Draft 2016

A seleção de um quarterback no Draft 2016 foi uma das mais inusitadas da história dos Pats. Projetado para apenas os últimos rounds, Brissett chegou com o apoio da comissão técnica e desconfiança da torcida.

Com a suspensão de Brady e a lesão de Jimmy Garoppolo, Jacoby teve que atuar contra os Texans e Bills. Ainda pré-maturo, o quarterback fez o feijão com arroz e ajudou os Pats a conseguirem uma vitória sensacional contra Houston. Já na partida versus os Bills, Brissett saiu derrotado.

O QB #3 acabou sofrendo uma lesão no polegar e perdendo um bom tempo, sendo posto na IR. Para tê-lo mais de perto, Belichick o trouxe de volta, utilizando a única vaga da IR-DFR. Isso mostrou a admiração que a comissão técnica tem em Brissett.

Avaliação do ano de calouro da escolha: Boa

DT Vincent Valentine – Pick 96

Draft 2016

Outro jogador que estava projetado para os late rounds e os Pats trouxeram no terceiro. Valentine teve uma temporada de rookie interessante de se acompanhar.

Sendo o principal reserva de Malcom Brown e Alan Branch, Valentine deu flashes do bom jogador que poderá virar.

Vincent foi um dos melhores calouros da liga na pressão pelo interior da linha e em parar corridas. Seu grande momento na temporada, foi quando conseguiu um tackle for loss memorável contra o Pittsburgh Steelers, na final da AFC.

Avaliação do ano de calouro da escolha: Boa

WR Malcolm Mitchell – Pick 112

Draft 2016

Na época do Draft 2016, Malcolm Mitchell foi a escolha mais comemorada pelos torcedores dos Patriots, e 4 meses depois ele provou por quê.

Com uma boa pré-temporada, o receiver já começou a encher os olhos da torcida de New England. Contudo, ele acabou se lesionando e não estando 100% para as primeiras semanas da temporada, onde pouco produziu.

A partir da segunda metade do ano, Mitchell engatou ótimas atuações. Na semana 11, contra os Jets, ele anotou dois touchdowns em cima de Darrelle Revis.

Voltando a ter que lidar com lesões, Malcolm perdeu a reta final da temporada regular. Seus números nesta fase o colocaram como terceiro melhor WR dos Pats. Foram 32 recepções para 401 jardas e 4 TDs.

No Super Bowl LI, Mitchell não sentiu a pressão, e se tornou o primeiro jogador calouro a receber um passe na grande final na era Belichick. Foram 6 no total para ele.

Vemos um futuro brilhante para Malcolm nos Pats. Seu único empecilho poderá ser as lesões.

Avaliação do ano de calouro da escolha: Ótima

LB Kamu Grugier-Hill – Pick 208

Draft 2016

A seleção do linebacker Grugier-Hill foi uma estilo Patriots, que usou-a para dar versatilidade ao elenco e ajudar nos special teams. Kamu se mostrou um jogador interessante de analisar, ainda mais pelo fato de também jogar como strong safety.

As comparações com Brandon King e Patrick Chung logo foram surgindo, e correspondendo a medida que Hill jogava. Contudo, o LB se lesionou no fim da pré-temporada, e não aguentou os cortes finais, sendo dispensado pelo time.

Avaliação do ano de calouro da escolhaRuim

LB Elandon Roberts – Pick 214

Draft 2016

Pouco conhecido e quase não falado durante os scouts, Elandon Roberts chegou aos Patriots com conhecimento praticamente nulo por parte dos fãs.

Todavia, a partir da troca de Jamie Collins, Roberts começou a ganhar espaço entre os linebackers de New England e mostrar que pode ser útil.

Elandon foi importante contra o jogo corrido, mas pecou contra o passe. Porém, isso não apaga a boa temporada que ele teve, ainda levando em conta o round que foi draftado.

Roberts tem tudo para melhorar ao longo dos anos. Para virar titular indiscutível dos Pats, é difícil prever, mas pelo menos ser um bom reserva, já parece realidade.

Avaliação do ano de calouro da escolha: Boa

RG Ted Karras – Pick 221

Draft 2016

A escolha de mais um guard no Draft 2016 mostrou a preocupação dos Pats com esse setor. A princípio, Ted Karras entrava como um dos últimos no depth chart para ganhar uma vaga nos 53 finais.

Com as lesões de Jonathan Cooper e Tre’ Jackson e as dispensas inusitadas de Josh Kline e Bryan Stork, Karras teve chance de mostrar seu football, que agradou Scarnecchia, mantendo-o no elenco.

Na temporada, Ted não teve muitas oportunidades, já que a linha ofensiva dos Pats foi a mesma durante todo o ano.

Podendo atuar como center também, Karras ainda não tem presença garantida, pois Jackson voltará de lesão. Todavia, sua versatilidade poderá ser o diferencial.

Avaliação do ano de calouro da escolha: Sólida

WR Devin Lucien – Pick 225

Draft 2016

Última escolha dos Patriots no Draft 2016, Devin Lucien chegou ao time com poucas chances de bater seus concorrentes por uma vaga na equipe.

Nos treinos e pré-temporada, o recebedor quase não apareceu e, quando teve chance, acabou dropando um passe que selou sua dispensa.

Avaliação do ano de calouro da escolhaRuim

One thought on “Como foi a temporada das escolhas do Draft 2016

Deixe uma resposta