A importância de Brian Hoyer no título do Super Bowl

Brian Hoyer

O título dos Patriots no Super Bowl LIII teve vários heróis celebrados. Stephon Gilmore com a interceptação, Dont’a Hightower com seus sacks, Julian Edelman, o MVP, com sua centena de jardas.

Dos 46 jogadores dos Patriots inscritos para o jogo (game day roster), um único atleta não entrou em campo, mas teve um papel muito importante na conquista: o quarterback reserva Brian Hoyer.

Esse fato veio à tona através de Albert Breer, com a coluna Monday Morning Quaterback. Em entrevista com os irmãos McCourty, Breer descobriu que Hoyer teve um papel de grande ajuda na vitória sobre os Rams.

A importância de Brian Hoyer no título do Super Bowl

Na coluna MMQB (Monday Morning Quarterback), Albert Breer sentou com Devin e Jason McCourty para analisar algumas das principais jogadas do Super Bowl.

Os irmãos destacaram que Brian Hoyer, quarterback reserva de New England, teve um papel importante na preparação para enfrentar os Rams. E não foi apenas atuando como scout de Jared Goff.

Hoyer é um veterano de 10 anos de liga. Segundo os irmãos McCourty, quando a defesa dos Pats, nos treinos, consegue enganar o quarterback, aumenta a probabilidade de que os QBs adversários não percebam seus truques.

Mas o papel de Hoyer não se limitou a isso. Ele conseguiu identificar tendências no ataque dos Rams, comandado por Sean McVay, que outros jogadores do elenco dos Patriots não poderiam.

Breer então ligou para o próprio Brian, e a história tomou forma.

Brian Hoyer trabalhou com Kyle Shanahan em 2014 e 2017, nos Browns e 49ers, respectivamente. O ataque de McVay vem da árvore de Kyle (e Mike) Shanahan, quando trabalharam juntos nos Redskins.

Hoyer assistiu a um episódio do Peyton Manning Detail, programa da ESPN do ex-quaterback, sobre Jared Goff, e percebeu que o ataque dos Rams é basicamente o mesmo que Hoyer conheceu de perto com Shanahan.

Vendo outro programa, dessa vez no NFL Network, Hoyer viu McVay afirmar que se comunicava com Goff até faltarem 15 segundos para o snap, momento em que a comunicação é interrompida, a exemplo do que acontecia com o próprio Hoyer.

Por fim, Brian assistiu outro show, o All or Nothing sobre os Rams de 2016, e reconheceu a linguagem usada pelo técnico dos Rams.

Somando sua experiência ao conhecimento do ataque utilizado pelos Rams, Brian ajudou a orientar a defesa dos Patriots sobre tendências, e o que esperava que Goff e os Rams fizessem quando vissem determinado posicionamento da defesa.

Segundo os McCourty, em um treino durante a temporada, a defesa estava indicando blitz, com toda a secundária próxima à linha de scrimmage. Hoyer disse que naquela situação lançaria um passe em profundidade.

Tendo identificado o ataque dos Rams, na semana do Super Bowl, o reserva de Brady reforçou essa ideia com a defesa, de que se a defesa estivesse indicando “all out blitz”, Goff provavelmente forçaria um passe em profundidade, já que o ataque implementado por McVay não tinha uma resposta para aquilo. Assim, orientou os jogadores da cobertura a não tirarem os olhos do quarterback.

Reconhece a jogada? Foi exatamente o que ocorreu na interceptação de Stephon Gilmore, que praticamente garantiu o Super Bowl.

Disso tiramos duas lições.

A primeira, que todos os jogadores que estão no elenco são importantes, mesmo que seu papel não apareça nas estatísticas do jogo.

E em segundo lugar, que se você divulga muitos detalhes do funcionamento do seu time, algum adversário pode estar de olho e usar isso contra você.

Por isso Bill Belichick (e os Patriots como um todo) nunca fala nada além do estritamente necessário. Tem funcionado.

Compartilhe esta matéria:

Share on facebook
Share on twitter

Este post tem um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O Patriotas é um fã clube oficial no Brasil e reconhecido pelo New England Patriots nos Estados Unidos.

Site desenvolvido pela equipe Patriotas.