Alguns pensamentos sobre Jimmy Garoppolo

Jimmy Garoppolo Quarterbacks

Assunto recorrente na offseason do New England Patriots, Jimmy Garoppolo despertou o interesse de boa parte da comunidade do futebol americano. Muitos davam como certa uma troca, sendo o time favorito para contratar o quarterback o Cleveland Browns.

No entanto, o aparente apego de Bill Belichick e dos Patriots a Garoppolo mostra que a passagem do jogador pela equipe de New England pode estar longe do fim.

Alguns pensamentos sobre Jimmy Garoppolo

Tom Brady é o dono da posição de quarterback dos Patriots por pelo menos mais dois anos.

O contrato de Garoppolo com os Patriots se encerra ao final da temporada 2017. Com isso, alguns invocam a velha máxima de que “é melhor trocar o jogador agora e ganhar algo do que o perder de graça  após mais uma temporada”.

Somando-se essa lógica (que, de fato, é lógica) ao fato de que muitas franquias serem carentes de quarterbacks de qualidade, parecia óbvio que boas ofertas chegariam e Garoppolo seria enviado para outra equipe em troca de alguma escolha de draft, possivelmente até de primeira rodada.

Tão logo as situações acima foram se desenhando, surgiram reports de que Bill Belichick e os Patriots não estariam nem um pouco dispostos a se despedir do jovem quarterback, alguns afirmando até que uma escolha de primeiro round não seria suficiente para separar Jimmy de New England.

Se essas informações forem verdadeiras (e parece que são, já que até agora nenhuma informação concreta de troca foi veiculada), qual seria então o motivo de os Patriots fazerem um esforço tão grande para terem mais um ano de Garoppolo?

Daí, algumas considerações (e especulações) merecem destaque.

Voltemos a Tom Brady. O maior quarterback de todos os tempos ainda não deu sinais de sofrer os efeitos do tempo. No entanto, não há como garantir que esse quadro dure por muito tempo.

Poucos quarterbacks na história conseguiram jogar em algo nível após os 40 anos, e o “G.O.A.T.” terá exatamente 40 durante a temporada que se aproxima.

Assim, é possível que Belichick entenda que é válido segurar Garoppolo por mais um ano, como um seguro para o caso de Brady se machucar ou decair, mesmo que isso tenha como preço perder Jimmy de graça na offseason 2018.

Caso os Pats troquem Garoppolo e percam Brady para a temporada, a troca será uma decisão da qual a franquia pode se arrepender amargamente.

Entrando no campo da especulação, é possível ir mais além: talvez Belichick não queira perder Garoppolo após a temporada 2017.

Como isso seria possível? Há duas principais formas: extensão contratual e franchise tag.

Em termos de extensão, surgem duas perguntas principais:

  1. Garoppolo aceitaria estender o contrato com salário de reserva?
  2. Os Patriots pagariam salário de titular para Jimmy ser reserva de Brady?

A resposta para ambas as perguntas tende bastante para o “não”, embora nada possa ser descartado.

Dependendo das intenções de Garoppolo, nada impede que uma extensão contratual seja acordada até mesmo nesta temporada 2017.

A segunda situação seria os Patriots colocaram a franchise tag em Garoppolo. Com isso, pagariam por um ano de contrato o equivalente à média dos 5 maiores salários da posição.

Trata-se, na prática, de mais de U$ 20 milhões, uma quantia muito alta.

Por mais que qualquer das situações supostas pareça loucura, não acredito que seja possível descartar completamente a hipótese de que Bill Belichick queira manter Garoppolo no roster por pelo menos mais dois anos, mesmo pagando caro.

Com isso, o técnico teria condições de avaliar minuciosamente um possível declínio de Tom Brady, tendo a segurança de um quarterback de qualidade em caso de necessidade.

Tudo não passa de especulação, mas o fato é que, se for verdade que Bill Belichick não quer se desfazer de Garoppolo nesta offseason em nenhuma hipótese, é possível que o técnico tenha planos de longo prazo para o jovem quarterback.

Compartilhe esta matéria:

Share on facebook
Share on twitter

Este post tem 4 comentários

  1. O problema em relação ao “father time”, que todos os analistas pontuam, é que a queda de rendimento do QB é abrupta, não é gradual por isso é difícil avaliar o declínio do QB. o Brett Favre é o melhor exemplo. Ele teve a melhor temporada da carreira com 40 anos, a primeira dele com os Vikings, lançou para 33 TDs, 7 interc, e um rating de 107, única vez na carreira que passou de 100. Entretanto, na temporada seguinte, última da carreira, com 41 anos ele lançou para 11 TDs, 19 interceptações e rating de 69. O Peyton Manning também teve uma queda abrupta, mas no caso dele o histórico de lesões ajudou. A questão do Brady é mais complicada de simplesmente comparar com as duas lendas que mencionei, por dois motivos. Primeiramente, nunca na história da NFL um QB cuidou tão bem do corpo quando o Brady, fora brincar com os filhos e um ou outro jantar com a Gisele para posar para algumas fotos, o cara não faz nada que não envolva preparação para a temporada. Segundo, O Brad depende MUITO menos de passes longos que o Manning e o Favre, tendo assim uma melhor adaptação a idade que esses dois. A preocupação maior no meu ponto de vista é lesões, com a idade elas são bem mais difíceis de curar.

  2. Acho que a troca ocorrerá no dia do Draft. BB vai esperar a melhor oferta. E draftar um QB no meio do draft. Assim como fez com brissett. Que deve ter evoluído alguma coisa.

  3. Não vejo uma extensão contratual como “tenderia ao não”, explico: ano após ano vemos o Brady abrir mão de aumento ou até a manutenção de seu salário para abrir cap.
    Caso Jimmy venha a negociar um salário de titular mesmo não tendo tal posição, acho bem provável Brady abrir mão de uma parte de seus rendimentos em relação a permanecia do JG. Mais isso só ocorrerá se realmente os Patriots queiram manter Jimmy por um longo tempo caso contrario, vejo uma troca maluca do BB no draft!

  4. Outra opção, que eu não tenho visto ninguém falar é trocar o Brady!!!!!! Caso os Patriots realmente acreditarem no futuro do Garoppolo, uma opção é trocar o Brady ao final da próxima temporada e segurar o Garoppolo com a Franchise Tag. Em 2007, o Brett Favre, que tinha 38 anos, fez ótima temporada estatisticamente e o time ainda terminou a temporada regular com 13-3 e quase foram ao Superbowl contra os Patriots, perdendo para os Giants na prorrogação. Mesmo após essa temporada especial o time o trocou para os Jets apostando no Aarão Rogério. Os caras do Packers tiveram sangre frio e acertaram.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O Patriotas é um fã clube oficial no Brasil e reconhecido pelo New England Patriots nos Estados Unidos.

Site desenvolvido pela equipe Patriotas.