Analisando os problemas de Cam Newton – parte 1/3

Cam Newton

A contratação de Cam Newton trouxe certa segurança a uma posição dos Patriots que era uma verdadeira incógnita. As boas atuações nos dois primeiros jogos reforçaram essa sensação.

No entanto, nos últimos quatro jogos, a posição de quarterback foi talvez a pior dos Patriots, três dessas partidas tendo Newton como titular.

O que está acontecendo com Cam?

Para isso, faremos nos próximos três dias uma sequência de posts, cada um detalhando um dos fatores que estão impedindo Cam Newton de ter sucesso este ano.

Analisando os problemas de Cam Newton – parte 1/3

New England não tem hoje um quarterback jogando no nível mínimo exigido para vencer partidas na NFL. Isso, creio, é indiscutível.

Os últimos quatro jogos deixaram a desejar: a vitória contra os Raiders, onde Cam não jogou tão bem; o desastre ofensivo contra os Chiefs patrocinado por Hoyer e Stidham; e duas péssimas partidas de Cam Newton contra Broncos e 49ers, este último sem a justificativa de não ter havido treinamento.

Vários são os problemas que o quarterback (ainda) titular dos Patriots têm apresentado. Hoje, falaremos da sintonia com o principal recebedor do elenco dos Pats.

Sintonia com Edelman

Julian Edelman tem sido o melhor wide receiver dos Patriots por uma década. Constante válvula de escape, nos acostumamos a ver a conexão Brady-Edelman como a salvação para conversões importantes.

Na primeira partida juntos, Newton e Edelman conseguiram bons resultados, dando a impressão de que veríamos o camisa 11 como o “go-to guy” do quarterback dos Patriots.

Na semana 1, foram 5 recepções em 7 passes tentados para Julian, resultando em 57 jardas. Na semana 2 Edelman explodiu, como 8 recepções para 179 jardas.

Infelizmente, desde então, as coisas pioraram bastante entre o #1 e o #11.

Nos últimos quatro jogos, Edelman totaliza 8 recepções para 81 jardas. Contra os 49ers, Julian teve apenas 1 recepção para 12 jardas, e o passe não veio de Newton, mas de Stidham.

O próprio Newton reconheceu que tem muito a melhorar nesse aspecto. Segundo ele, “nosso wi-fi está definivamente off”.

Boa parte desse desentendimento deve-se ao fato de que uma das forças de Edelman são as rotas “option”, em que o recebedor tem duas ou três opções de rota e decide após o snap, a depender da cobertura apresentada pela defesa adversária.

Para isso, é necessário que quarterback e receiver estejam na mesma página. Caso Edelman faça sua opção de rota e Cam não enxergue a secundária adversária da mesma maneira, a conexão se torna impossível.

Isso ficou claro na interceptação lançada por Newton ao tentar passar para Edelman.

Baseado na cobertura, Julian parou na rota em um espaço entre a zona dos 49ers. No entanto, a bola não chegou. A secundária percebeu e fechou em Edelman que, sentindo a presença dos adversários, tentou mudar de posição.

Neste momento, quando Edelman estava saindo, Cam lançou a bola no ponto original do recebedor. A bola foi atrás de Edelman, que ainda tentou a recepção impossível, e a bola desviada acabou nas mãos do adversário.

Sintonia se desenvolve com treinos, e não podemos dizer que Cam Newton e Julian jamais estarão na mesma página.

Ao mesmo tempo, percebemos que já estamos nos aproximando da metade da temporada regular, o que nos leva ao pensamento de que, se a essa altura as coisas não se ajustaram, dificilmente se acertarão a tempo de salvar o ataque dos Patriots em 2020.

Amanhã retornaremos para analisar mais um problema apresentado por Cam Newton.


Acompanhe o Patriotas no Instagram clicando aqui.

Compartilhe esta matéria:

Share on facebook
Share on twitter

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O Patriotas é um fã clube oficial no Brasil e reconhecido pelo New England Patriots nos Estados Unidos.

Site desenvolvido pela equipe Patriotas.