Análise de midseason: Offensive line

Após dois textos falando de posições mais valorizadas por todo fã de NFL, os cornerbacks e wide receivers, hoje a análise de midseason será de uma das posições mais importantes do ataque: a Offensive line.

Análise de midseason: Offensive line

A offensive line dos Patriots já foi muito criticada, porém, este ano suas atuações não vem prejudicando tanto o desempenho do ataque. Com a adição de alguns jogadores e a melhora no entrosamento, o setor tornou-se mais sólido e mais confiável para proteger Brady.

Confira a análise jogador por jogador

OT Nate Solder

Solder é o offensive lineman que mais sofre em seus matchups, sempre enfrentando os melhores pass rushers dos adversários. Ele tem números relativamente ruins, porém, que podem ser explicados por seus matchups.

O jogador tem 258 snaps, cedendo 20 pressões, 13 hurries, 3 QB hits e 4 sacks. Solder tem uma temporada consistente até aqui, aguentando a pressão de alguns grandes defensores da liga. Um grande teste para ele e toda linha ocorrerá contra os Broncos.

LG Joe Thuney

i

O rookie está jogando de forma extremamente sólida e foi um grande acerto de nosso draft. Thuney é empurrado na direção de Brady muitas vezes, no entanto, cede poucos sacks, apenas 1 em 307 snaps. O jogador cedeu 22 pressões, 17 hurries e 4 QB hits. Grata surpresa até aqui, Thuney tem grande potencial e deverá crescer mais no resto da temporada. Precisa reduzir as faltas, são 5 para o LG neste ano.

C David Andrews

O segundoanista de Georgia mostrou desenvolvimento nesta temporada com pouquíssimos erros graves em snaps. Quase nunca a pressão chega pelo meio, por isso, seus números são excelentes. Não cedeu nenhum sack, 5 QB hits, 5 hurries e 10 pressões, em 307 snaps.

RG Shaq Mason

Shaq Mason é a maior dúvida quanto ao rendimento nesta OL, com o maior número de pressões e sacks cedidos. Mason tem 255 snaps para 23 pressões, 15 hurries, 3 QB hits e 5 sacks. Mantendo atuações regulares, Shaq pode perder sua vaga para Tre’ Jackson.

 OT Marcus Cannon

Como postamos há semanas atrás: Até que enfim, Marcus Cannon. Após algumas temporadas ruins, Cannon tornou-se o jogador mais consistente desta OL. Cedendo os números mais baixos do setor, tirando Andrews, em QB hits, pressures e hurries, Cannon melhorou física e mentalmente se tornando bem mais confiável.

Teve seu pior jogo da carreira contra os Broncos na última temporada e terá esse grande teste pela frente em seguida.


A nossa OL melhorou também na proteção de jogo corrido, e uma amostra disso é como LeGarrette Blount está carregando a bola bem.

E você, acha que aguentaremos os desafios pela frente? Comente aqui embaixo.

Compartilhe esta matéria:

Share on facebook
Share on twitter

Este post tem 2 comentários

  1. Mas pela lógica os matchups sempre serão desfavoráveis ao LT de um QB destro, pois como defende o blindside enfrentará os melhores defensores. Assim, a tendência seria os LT apresentarem sempre números ruins, pela lógica dos matchups. Sinceramente, a questão é que o Solder está uma merda.

    1. Mas o raciocínio é justamente esse, o melhor OT defende o blindside do lado “errado” do QB. No caso de um QB canhoto, o RT precisa ser o melhor da linha, pq a tendência é que ele enfrente adversários mais fortes.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O Patriotas é um fã clube oficial no Brasil e reconhecido pelo New England Patriots nos Estados Unidos.

Site desenvolvido pela equipe Patriotas.