Análise: Patriots 20 x 26 Jets

Precisando de uma vitória para assegurar o mando de campo nos playoffs, o New England Patriots foi até New Jersey para enfrentar o New York Jets.

Com vários jogadores ausentes por lesões e com uma péssima atuação tanto do ataque quanto da defesa, os Patriots perderam na prorrogação em um jogo que contou ainda com uma decisão polêmica do técnico Bill Belichick.

Análise: Patriots 20 x 26 Jets

Ataque

Se a ausência de Julian Edelman já havia sido suficiente para transformar o ataque dos Patriots de potência em normal, jogar sem Edelman e Danny Amendola faz com que esse ataque seja medíocre, sem inspiração.

Os problemas se apresentam em cadeia: sem seus recebedores mais ágeis, Tom Brady precisa segurar mais a bola; os recebedores disponíveis não conseguem se livrar da marcação; a linha ofensiva não consegue proteger por muito tempo. Resultado: muitas jogadas terminando em sacks ou em Brady jogando a bola fora por não ter para quem passar. Esse foi o retrato da partida contra os Jets.

Uma estatística resume bem a tarde do ataque: 1/10 em conversões de 3ªs descidas!

Apenas dois jogadores no ataque se destacaram positivamente: Rob Gronkowski e Keshawn Martin.

Gronk foi responsável por 86 jardas na partida e conseguiu uma recepção incrível em uma 4ª para 9 que permitiu aos Patriots levar o jogo para a prorrogação.

Já Martin vem melhorando a cada jogo, e hoje pode-se dizer sem medo que ele é mais importante para o time que Brandon LaFell.

Por falar em LaFell, seu desempenho na tarde de ontem foi péssimo. O wide receiver conseguiu apenas 1 recepção na partida!

O jogo terrestre, como era esperado, não conseguiu engrenar contra o ótimo front 7 dos Jets.

Steven Jackson estreou, mas foi muito pouco utilizado, frustrando as expectativas dos torcedores. Isso é natural, já que o jogador acabou de chegar. O que importa para Jackson é conseguir estar bem para ser útil nos playoffs, já que infelizmente não podemos esperar muito de Brandon Bolden.

James White manteve a média dos últimos jogos e conseguiu 1 touchdown de recepção. O crescimento de White no ataque aéreo é importante e uma boa notícia para os playoffs.

O desempenho do ataque está tão ruim nas últimas semanas que no 2º quarto os Patriots receberam a bola com 1:53 min no cronômetro e 2 timeouts para pedir, e não arriscaram!

Em outras épocas, esse tempo seria mais que suficiente para Brady e companhia anotarem pelo menos um field gol. Atualmente, o time corre com a bola e deixa acabar o tempo.

Por fim, sempre elas, as lesões. Será que esse time não consegue completar um jogo sem que algum titular saia carregado no carrinho?

Dessa vez foi o tackle Sebastian Vollmer. Em uma jogada de corrida, o fullback Iosefa caiu sobre a perna de Vollmer, que não conseguiu sair de campo com as próprias forças.

Apesar do otimismo de Vollmer pós-jogo, normalmente quando um jogador sai de campo carregado a lesão é séria. E nesse caso as consequências seriam gravíssimas, já que o time já perdeu seu left tackle titular Nate Solder.

Patriots 20 x 26 Jets
Tom Brady fez o que pôde considerando a qualidade das armas à sua disposição.

Defesa

A defesa dos Patriots iniciou a partida com seus dois safeties titulares fora de combate, e isso foi decisivo na partida.

Sem Devin McCourty e Patrick Chung, os Patriots foram de Duron Harmon e Jordan Richards. Os problemas de comunicação foram claros, e em várias jogadas os recebedores dos Jets estavam livres em zonas cheias de falhas.

Sem McCourty, Logan Ryan não conseguiu parar Brandon Marshall, que anotou 115 jardas e 2 touchdowns na partida.

Malcom Butler marcou Eric Decker muito melhor do que no confronto da semana 7, mas falhou quando não podia, na prorrogação, cedendo o touchdown que deu a vitória aos Jets.

Não podemos colocar a culpa apenas em Butler, toda a defesa jogou mal.

O cornerback Leonard Johnson, que estreou tão bem conta os Texans, sofreu bastante contra os Jets. Na prorrogação, Johnson trombou com o safety Tavon Wilson em uma espécie de “pick play” atrapalhada, permitindo um grande avanço dos Jets.

Nosso front 7, tão bom parando corridas e pressionando o quarterback, não conseguiu repetir as atuações das últimas partidas. Além de os Jets correrem para 143 jardas, Ryan Fitzpatrick teve muito tempo no pocket para achar seus recebedores.

O lado bom é que a defesa não perdeu mais jogadores por lesão. Quando Chung e McCourty retornarem, essa unidade tem tudo para jogar novamente em alto nível novamente.

Patriots 20 x 26 Jets
Jamie Collins retornando para touchdown o fumble forçado por Jabaal Sheard.

Bill Belichick

O técnico Bill Belichick foi pivô da jogada mais controversa da partida.

No início da prorrogação, os Patriots ganharam o cara-ou-coroa, mas para surpresa de todos o capitão Matthew Slater escolheu chutar a bola, não receber.

Imediatamente Slater foi alvo de críticas pelo mundo, pois achava-se que a escolha teria sido um erro do jogador. No entanto, Slater fez o que Bill Belichick lhe havia ordenado.

A princípio a decisão pareceu absurda, mas quando analisamos o desempenho do time no jogo, Belichick teve motivos para escolher chutar.

Pelas regras da prorrogação da NFL, se a primeira posse de bola resultar em touchdown, o jogo acaba. Se o time que atacou conseguir um field gol, o adversário terá a chance de receber a bola para tentar pelo menos empatar a partida.

Assim, teoricamente, a única escolha lógica é selecionar receber a bola e tentar anotar o touchdown.

No jogo de ontem especificamente, o ataque dos Patriots estava praticamente inoperante, sofrendo para conseguir cada jarda. Se BB escolhesse receber a bola e o ataque saísse em 3 and out (lembrando que o time só converteu 1 de 10 3ªs descidas), os Jets receberiam a bola em uma boa posição de campo precisando apenas de um field gol para vencer o jogo.

A decisão do técnico, mesmo questionável, refletiu a falta de confiança dele no seu ataque. BB achou que era mais provável a defesa, que tinha crescido no segundo tempo, fazer jogadas decisivas.

Olhando friamente, Belichick tomou a decisão certa considerando as circunstâncias da partida. Infelizmente, falhas na comunicação e uma trombada bizarra da secundária permitiram aos Jets anotar o touchdown que definiu o jogo. Como não deu certo, Belichick enfrentará as consequências da sua decisão.

O grande erro de BB, na minha opinião, foi ter mantido Dont’a Hightower em campo quando o linebacker estava visivelmente longe das suas melhores condições físicas.

Em uma fase em que perdemos jogadores todo jogo, deixar Hightower em campo foi um risco desnecessário. Se sua contusão fosse agravada e o linebacker ficasse de fora do restante da temporada, a defesa sofreria um sério golpe que diminuiria consideravelmente as chances do time nos playoffs.

Patriots 20 x 26 Jets
Bill Belichick tomou a decisão certa mas, como não deu certo, vai ser cobrado por isso.

DESTAQUES

Rob Gronkowski (tight end): 4 recepções para 86 jardas.

Keshawn Martin (wide receiver): 7 recepções para 68 jardas e bons retornos de chutes.

Tom Brady (quarterback): 22/31, 231 jardas, 1 TD, 1 INT.

Patriots 20 x 26 Jets
Rob Gronkowski tem sido a única arma confiável de Tom Brady.

First Downs: 16 (2 corridas / 13 passes / 1 faltas) | Terceira Descida: 1/10 (10%) | Total de Jardas: 284 (63 correndo / 221 passando) | Faltas: 1 (7 jardas) | Touchdowns: 1 (0 correndo / 1 passando / 1 retorno) | Field Goal: 2-2 (100%) | RedZone: 1/2 (50%) | Pontuação Final: 20 pontos | Tempo de Posse: 28:33 min.

Patriots 20 x 26 Jets
O running back Steven Jackson estreou, mas foi pouco utilizado no ataque.

A derrota foi sofrida. O time jogou mal, depois encheu os torcedores de esperanças com uma reação no final, que não foi suficiente para garantir a vitória.

Mesmo assim, as consequências não são graves em termos de classificação. Os Patriots dependem apenas de si para garantir a seed #1 na AFC, bastando para isso vencer os Dolphins na última rodada.

Mesmo com a classificação encaminhada, a situação atual do time preocupa bastante para os playoffs.

Nos últimos jogos, temos visto em campo a fórmula que causou nossas derrotas nos playoffs nos últimos anos: pressão em Brady pelo meio da linha ofensiva e a defesa não conseguindo fazer uma jogada quando precisa.

É certo que teremos jogadores muito importantes de volta para os playoffs, mas há sempre a possibilidade de estes não voltarem 100%. Nem sempre quando um jogador volta de lesão vemos um “plug and play”, às vezes é necessário algum tempo de readaptação.

Tomara que esse não seja o caso e que Edelman e Amendola no ataque, Chung e McCourty na defesa, voltem e logo atuem em alto nível. Precisaremos de todos para termos chances de voltar ao Super Bowl.

Na próxima quarta, no nosso podcast, trataremos mais detalhadamente desse jogo e da situação do time e da AFC para os playoffs, aguardem!

Compartilhe esta matéria:

Share on facebook
Share on twitter

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O Patriotas é um fã clube oficial no Brasil e reconhecido pelo New England Patriots nos Estados Unidos.

Site desenvolvido pela equipe Patriotas.