Análise: Patriots x Redskins

Olá Patriotas! É bom estar de volta fazendo as análises dos jogos depois de duas partidas ausente, e melhor ainda voltar com uma vitória, ainda que não tenha sido de encher os olhos da torcida.

Em um jogo morno, meio desligado do time, o New England Patriots venceu o Washington Redskins por 27 x 10 no Gillette Stadium, vamos ao que de mais importante aconteceu na partida.

Análise: Patriots x Redskins

ATAQUE

O ataque dos Patriots começou avassalador, e logo no seu primeiro drive abriu 7 x 0 no placar. A vontade de impor o ritmo foi tão grande que ao invés de devolverem a bola para os Redskins, os Patriots chutaram um onside kick e conseguiram recuperar a bola.

Tom Brady fez um bom jogo, não espetacular, e acabou lançando a sua segunda interceptação na temporada (a primeira por culpa do quarterback). Mesmo assim Brady conseguiu lançar 2 touchdowns na partida e conduzir o ataque a uma vitória sem sustos.

Rob Gronkowski e Julian Edelman foram muito importantes em momentos cruciais de conversões de 3ªs descidas, como sempre, mas o destaque entre os recebedores foi Brandon LaFell.

A estreia de LaFell após voltar de lesão, na semana 7 contra os Jets, deixou claro que o wide receiver estava “enferrujado”. Foram vários drops que acabaram complicando o ataque dos Patriots.

Ontem, na sua terceira partida após a volta, LaFell mostrou estar de volta à forma de 2014, quando foi o principal wide receiver dos Patriots nas extremidades do campo. Foram 5 recepções para 102 jardas.

Os Patriots demonstraram um compromisso com o jogo terrestre maior do que nas últimas partidas. Desde o início, LeGarrette Blount e Dion Lewis se revezaram e conseguiram boas corridas.

Blount fez uma excelente partida, conseguindo 129 jardas e 1 touchdown em 29 corridas.

Já Lewis, após suas 4 recepções para 39 jardas, sofreu uma lesão no joelho esquerdo que retirou da maioria dos torcedores dos Patriots a alegria pela vitória. Ainda não se sabe claramente a extensão da lesão, mas pode-se garantir que Lewis ficará um bom tempo fora de combate.

É uma pena, já que depois de anos sem conseguir boas sequências de jogos por lesões, Lewis vinha sendo um dos destaques do melhor ataque da NFL. Com jogadas explosivas que faziam os defensores sofrerem para derrubá-lo, o running back dos Patriots era uma arma difícil de defender.

Nossa linha ofensiva, já improvisada em decorrência das lesões de Nate Solder e Marcus Cannon, começou a partida com a boa notícia da volta de Bryan Stork. No entanto, ao fim do jogo os torcedores estavam se perguntando se a OL está se aproximando do “breaking point”.

Sebastian Vollmer, nosso right tackle, deixou o jogo com uma lesão na cabeça e forçou ainda mais mudanças na formação da linha ofensiva.

Cameron Fleming, que vinha jogando de right tackle, passou para left tackle. Já nosso center campeão Bryan Stork, que chegou a trabalhar de guard em alguns snaps, teve que ser improvisado de right tackle (!!!) por boa parte do segundo tempo.

Com essa linha retalhada (Fleming – Mason – Andrews – Kline – Stork), os Patriots ficaram limitados ofensivamente no segundo tempo, o que só não trouxe mais problemas diante da fragilidade do adversário. Stork, mostrando uma versatilidade maior que a esperada, segurou bem de right tackle, ainda que tenha demonstrado que lhe faltam alguns fundamentos na proteção ao passe.

No fim das contas, não há como não se preocupar com o futuro. Se Cannon e Vollmer não voltarem logo, teremos problemas sérios enfrentando linhas defensivas melhores, principalmente se formos obrigados a manter essas improvisações nos playoffs.

Patriots x Redskins
Apesar de lançar sua 2ª INT na temporada, Brady fez um bom trabalho conduzindo o ataque.

DEFESA

Os Redskins não tinham um dos melhores ataques da NFL, mas possuíam armas para desafiar principalmente a nossa secundária, com Pierre Garçon e DeSean Jackson. Não obstante, a defesa dos Patriots limitou o time de Washington a 3 pontos até seu último drive.

Perceberam como nos jogos dos Patriots nesta temporada a defesa limita bastante o ataque adversário mas sempre cede touchdowns no fim quando o jogo já está decidido? Mesmo assim, nossa defesa é melhor que muitos imaginam. A defesa dos Patriots é a:

– 3ª em jardas terrestres cedidas por partida;

– 5ª em pontos cedidos por jogo;

– 8ª em jardas cedidas por jogo.

No front seven, a boa notícia é que os Patriots parecem ter superado uma das dificuldades do time nos últimos tempos: parar o jogo terrestre.

Os Redskins totalizaram apenas 37 jardas terrestres na partida. Se olharmos para os últimos 3 jogos, os Patriots cederam apenas 113 jardas em 50 corridas, com uma média excelente de apenas 2,26 jardas por corrida.

O sucesso se deve, pelo menos do ponto de vista da linha defensiva, ao crescimento de Malcom Brown e à ótima fase de Alan Branch. Esses jogadores têm sido uma verdadeira força na linha de scrimmage.

No tocante aos linebackers, Jonathan Freeny substituiu Jamie Collins, que, doente, foi poupado. Freeny sofreu um pouco para sair dos bloqueios contra o jogo terrestre, mas não chegou a comprometer.

O que a presença de Freeny destaca, na realidade, é a ausência de Jerod Mayo.

Ainda não podemos confirmar se Mayo está 100% recuperado da grave lesão que o tirou da temporada 2014. No entanto, é preocupante vê-lo passar de principal linebacker do time a segunda opção no banco em tão pouco tempo.

Sobre o pass rush, não conseguimos aplicar pressão constante em Kirk Cousins como fizemos contra outros adversários nos últimos jogos. Uma razão para isso certamente é a ausência de Jabaal Sheard.

Não apenas no sentido da produção de Sheard em si (que é ótima), mas também pelo fato de que sua presença permite que Chandler Jones e Rob Ninkovich possam ser poupados de algumas jogadas.

Não podemos voltar ao ponto de 2014 em que Chandler e Ninko jogavam 100% dos snaps.

Por falar em Ninkovich, criticamos suas atuações no início da temporada, onde esteve realmente sumido. Nos últimos jogos, entretanto, Ninko parece ter reencontrado sua boa forma e tem contribuído para o sucesso da defesa.

Nossa secundária foi muito bem na partida.

O duelo entre Malcom Butler e DeSean Jackson ocorreu, mas não teve o destaque que muitos esperavam. Ainda que Jackson tenha feito sua primeira partida na NFL voltando de lesão, Butler o cobriu pela maior parte do jogo. Jackson conseguiu apenas 3 recepções para 15 jardas.

Pierre Garçon teve um pouco mais de sucesso contra Logan Ryan, mesmo assim nada que desabone a atuação do cornerback dos Patriots.

Por falar em Ryan, vai um dado que mostra como o corner dos Patriots é melhor do que muitos imaginam: desde que entrou na liga em 2013, apenas Richard Sherman possui mais interceptações que Logan Ryan. E isso porque os snaps de Ryan foram muito limitados na temporada 2014 pelas presenças de Darrelle Revis e Brandon Browner.

Patriots x Redskins
Defesa comemora o fumble forçado por Alan Branch e recuperado por Rob Ninkovich.

DESTAQUES

Brandon LaFell (wide receiver): 5 recepções para 102 jardas.

LeGarrette Blount (running back): 29 corridas para 129 jardas e 1 TD.

Alan Branch (defensive tackle): 1 fumble forçado.

Bryan Stork (center/guard/tackle?): jogou bem de guard e de tackle na sua volta.

Patriots x Redskins
LeGarrette Blount entrando na endzone.

First Downs: 27 (10 corridas / 15 passes / 2 faltas) | Terceira Descida: 9/16 (56%) | Total de Jardas: 460 (161 correndo / 299 passando) | Faltas: 6 (43 jardas) | Touchdowns: 3 (1 correndo / 2 passando / 0 retorno) | Field Goal: 2-2 (100%) | RedZone: 3/6 (60%) | Pontuação Final: 27 pontos | Tempo de Posse: 37:05 min.

Patriots x Redskins
Brandon LaFell fez seu melhor jogo na temporada.

COMENTÁRIOS PÓS-JOGO

Bill Belichick (técnico)

Sobre a versatilidade dos jogadores: “Quando você perde um jogador, alguém como Jamie Collins não joga e isso tem consequências na rotação defensiva, e isso tem consequências nos times especiais. Você tem um número limitado de jogadores, alguém tem que fazer duas ou três funções.”

Tom Brady (quarterback)

Sobre a lesão de Dion Lewis: “É um jogo muito físico e é duro perder um jogador tão especial. Eu torço para que ele esteja bem. Eu não sei exatamente o que é, mas estamos todos torcendo pelo melhor.”

Rob Ninkovich (defensive end/outside linebacker)

Sobre a razão para o crescimento da defesa: “Não é uma coisa apenas. Os jogadores jovens estão ganhando experiência. Isso é muito importante. Então, como uma unidade, nós estamos melhorando.”

Patriots x Redskins
Chandler Jones é o líder da NFL em sacks com 9,5.

Já estamos na metade da temporada, como passa rápido!

Os Patriots estão invictos com 8 vitórias, e com a derrota dos Broncos para os Colts, dividimos a melhor colocação da AFC com os Bengals, também invictos.

A lesão de Dion Lewis parece ser séria, mas por mais que ele venha sendo um jogador importante, o time pode sobreviver e manter a alta produtividade do ataque sem ele.

No próximo domingo, enfrentaremos o New York Giants (L), nossos eternos algozes. Será que dessa vez conseguiremos espantar alguns demônios? Não que uma vitória vá apagar o que aconteceu nos Super Bowls 42 e 46, longe disso, mas certamente tiraria esse peso de não conseguirmos vencer a equipe de New York.

Preparem-se, torcedores Patriotas, será uma semana em que teremos uma overdose de imagens das recepções de David Tyree e Mario Manningham que acabaram com nossas temporadas. Tentem não deixar sentimentos tristes virem à tona (J).

Como de costume, no podcast desta semana traremos mais detalhes da vitória sobre os Redskins e tentaremos antecipar o confronto contra os Giants. Também fiquem ligados no Twitter e Facebook para notícias sobre as lesões de Dion Lewis e Sebastian Vollmer.

Hora de espantar nossos demônios, que venham os Giants!

 

Compartilhe esta matéria:

Share on facebook
Share on twitter

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O Patriotas é um fã clube oficial no Brasil e reconhecido pelo New England Patriots nos Estados Unidos.

Site desenvolvido pela equipe Patriotas.