Brady x NFL: a bola está nas mãos de Roger Goodell

Nesta quarta-feira, ocorreu em Nova York a audiência de tentativa de conciliação entre Tom Brady e a NFL, em razão da ação judicial que visa anular a suspensão de 4 jogos imposta ao quarterback dos Patriots.

Como havia dito desde que foi determinado que presidiria a questão, o juiz Berman renovou a tentativa de obter um acordo entre Brady e a NFL, a fim de que as partes encontrem uma solução amigável.

Diante disso, Berman fez questionamentos importantes às duas partes, mas a impressão deixada pela audiência é a de que a bola está nas mãos da NFL, que deve dar o próximo passo em direção a um acordo sob pena de que o juiz deva decidir a questão.

Brady x NFL: a bola está nas mãos de Roger Goodell

Como dito, o juiz Berman questionou as duas partes sobre possíveis contradições durante o deflategate.

Os maiores questionamentos direcionados a Tom Brady foram no sentido de que o jogador não teria cooperado completamente com a investigação de Ted Wells.

Em uma jogada curiosa, Jeff Kessler, advogado de Brady, admitiu que o jogador não cooperou inteiramente com a investigação. Segundo Kessler, a ausência de cooperação se deveu ao fato de Brady temer que suas informações pessoais fossem vazadas pela liga, como ocorreu com outros fatos presentes na investigação.

Inicialmente, a afirmação causou estranheza, já que obviamente coloca Brady em uma situação passível de punição pela NFL. No entanto, ao ponderar sobre o assunto, parece que a concessão feita por Kessler foi uma jogada calculada.

Conforme salientou o advogado de Brady, as regras do CBA (acordo coletivo) determinam que um jogador não pode ser punido por falta de cooperação.

Alem disso, Kessler ressaltou que Brett Favre, que foi acusado pela NFL de não cooperar com uma investigação sobre um possível crime sexual cometido pelo jogador, teve como punição pela liga uma simples multa.

Assim, ficamos com a impressão de que o fato de o advogado de Brady admitir que o jogador não cooperou inteiramente com a investigação da NFL é uma tentativa de mostrar ao juiz Berman que Brady está de boa vontade no sentido de chegar a um acordo, e que o máximo de pena a ser imposta ao quarterback seria uma multa.

Por outro lado, os questionamentos feitos à NFL foram bem mais severos.

Se Goodell não admitir revogar a suspensão, decisão a favor de Brady é muito possível.
Se Goodell não admitir revogar a suspensão, decisão a favor de Brady, segundo o juiz, é muito possível.

O juiz Berman fez questão de deixar claro inicialmente que, sem adentrar no mérito de se as bolas foram ou não intencionamente esvaziadas, Tom Brady e os Patriots não obtiveram nenhuma vantagem esportiva com o fato. Como ressaltado pelo juiz, Brady jogou muito melhor no segundo tempo da final da AFC, quando as bolas estariam infladas dentro do limite previsto nas regras.

Berman também foi enfático ao afirmar que a NFL não possui nenhuma prova ligando Tom Brady ao suposto esvaziamento das bolas. Segundo Berman, a NFL deveria ter apresentado qualquer prova de que o jogador dos Patroits seria culpado.

A NFL também foi questionada sobre não haver qualquer prova de que haveria uma conspiração entre Tom Brady e os funcionários dos Patriots para diminuir a pressão das bolas.

O juiz Berman deixou claro que ainda não se decidiu quanto a quem tem razão, afirmando que ambas as partes possuem argumentos fortes e fracos.

No entanto, a sensação de quem cobriu a audiência, bem como dos jornalistas que opinaram sobre o assunto, é a de que o juiz enfatizou que o caso da NFL contra Brady é fraco.

Adam Schefter, reporter da ESPN, chegou a dizer que os questionamentos ao advogado da NFL foram tão intensos que ele por vezes hesitou, teve dificuldades para responder.

Além disso, Schefter afirmou que o juiz deixou claro à NFL que a liga deveria pensar seriamente em uma proposta de acordo, pois uma decisão a favor de Brady é muito possível.

Nada está definido, e um acordo entre as partes dificilmente será costurado. Caso não haja um acordo, o juiz Berman decidirá o caso, sem data prevista para divulgar tal decisão.

Mesmo assim, a impressão é a de que Tom Brady obteve uma pequena vitória nesse primeiro encontro com a NFL na presença do juiz.

A bola agora está nas mãos de Roger Goodell, que deve aceitar fazer um acordo que não envolva a suspensão de Brady (uma multa, por exemplo) ou esperar para que o juiz Berman, que fez questão de apontar as fraquezas dos argumentos da liga, decida o caso.

 

Compartilhe esta matéria:

Share on facebook
Share on twitter

Este post tem 4 comentários

  1. Ótimo texto. E como tenho dito, vocês fazem um excelente trabalho ao divulgar notícias do Pats. Quero ressaltar que o trabalho de notícias em tempo real no Twitter foi excelente! Parabéns!

    1. Agradecemos mais uma vez Leandro! Abraços

  2. Felizmente chegou a hora de realmente ter alguém independente cuidando do caso. Até quem não faz direito consegue rebater Ted Wells. heheheh.

  3. Excelente notícia!
    Na minha opinião, outro ponto importante de qualquer acordo entre Brady x NFL é o fato da Liga fazer questão que o atleta reconheça a sua culpa/conhecimento/participação no evento. Isso (pelo que eu tenho percebido) é o ponto mais crucial de toda a discussão, pois Brady jamais admitiria qualquer envolvimento com os eventos do caso “Deflategate” (mesmo porque, isso sim abalaria demais sua imagem).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O Patriotas é um fã clube oficial no Brasil e reconhecido pelo New England Patriots nos Estados Unidos.

Site desenvolvido pela equipe Patriotas.