Deflategate: NFLPA divulga documentos da apelação de Tom Brady

Após a audiência de apelação de Tom Brady de sua suspensão no caso Deflategate, a NFLPA solicitou que o depoimento do QB fosse tornado público imediatamente, algo que a NFL negou. Uma vez que a ação foi levada a justiça comum e estes documentos foram anexados como provas, puderam ser divulgados, e foi o que aconteceu ontem. NFL solicitou ao juiz que esse documento permanecesse em segredo, o que foi negado. Agora sabemos o motivo.

Analisaremos alguns pontos que consideramos importantes após a leitura do documento.

Tom Brady sob juramento negou ter feito algo errado

Obviamente, Tom Brady alegou ter feito nada de errado. Quando questionado pelo advogado da NFLPA Jeffrey Kessler se ele diretamente autorizou, instruiu ou direcionou qualquer mudança na pressão de ar dentro das bolas, Brady respondeu “absolutamente não”. Inclusive Wells disse que não tem como afirmar que Brady pediu que algo fosse feito.

Isto é importante porque Brady testemunhou sob juramento, o que é contra lei independente da circunstância, e isto será considerado pelo juiz que ouvirá o caso. É mais provável que não que Brady seja o gênio do mal por trás do Deflategate.

Brady sobre seu celular

Quando questionado sobre seu celular a razão de destruí-los sempre que troca, Brady disse:

“Eu acho que independente do que eu faça com o telefone, eu não quero que ninguém veja o que há nele. Obviamente há um log dentro dos smart phones com meus e-mails. Nestes arquivos, existem contratos de jogadores. Há contratos publicitários. Fotos de família e etc, que eu não quero que alguém nunca tenha contato com isso. ”

Brady também disse que deu seu celular para seu assistente e que seus advogados disseram que havia uma solicitação para seu telefone, mas não seria adequado para Brady entrega-lo. Além disso, Wells nunca mencionou qualquer consequência caso o celular não fosse entregue no caso deflategate.

Sobre as comunicações com John Jastremski e Jim McNally, Tom Brady deu uma resposta que pode ser aplicada a quase tudo no Wells Report:

“Eu acho que você pode interpretar da forma que que você quiser”

Ted Wells nunca disse que Brady seria punido por não conceder documentos

Questionado sobre a escolha da empresa Exponent para análise cientifica e porque ele não considerou o depoimento de Brady crível:

“Eu rejeitei (Brady ter dito que não sabia de nada) baseado na minha avaliação de credibilidade e sua recusa ou decisão de não me fornecer o que eu solicitei em termos de documentação. E essa decisão, em meus 40 anos como advogado, acho que foi uma das mais mal aconselhadas decisões já tomadas, pois isso feriu muito sua credibilidade pra mim. ”

Tom Brady não cedeu seu celular porque ele não precisava, e claramente Wells não ficou feliz com isso:

“A solicitação que eu fiz, pra deixar claro eu não queria acesso ao celular. Sr. Yee poderia ter feito. Eu não disse ao Sr. Brady naquele momento que ele seria punido de alguma forma por não ceder qualquer documento solicitado. Nunca disse algo assim.”

Wells aceitou depoimento de todos, menos dos Patriots

Ted Wells aceitou depoimento de várias pessoas durante o Deflategate, menos de funcionários ou jogadores dos Patriots, pois de acordo com ele “eu não acho que seriam sinceros”.

A Ciência foi questionada “só” um pouco

Toda a ciência utilizada no Wells report foi questionanda inúmeras vezes, e Dean Snyder, de Yale School Management, sobre a parte que coube a Exponent. Ele disse que tem que se olhar pra análise estatística feita no report, onde eles deixaram o tempo de fora, o que seria importante.

O tempo nesse caso importa, pela mudança de temperatura no decorrer do tempo que ela fica exposta ao calor ou frio. As bolas do Colts foram medidas por último, e ficaram quase 15 minutos dentro do locker room, ganhando calor e consequentemente, pressão.

psi
Deflategate: gráfico mostra a evolução da pressão em função do tempo em minutos

Os Ravens iniciaram todo processo do deflategate

Algo que foi levantado em janeiro e confirmado ontem, o coordenador de special team dos Ravens, Jerry Rosburg contatou os gerente de equipamentos dos Colts, Sean Sullivan, sobre problemas nas bolas de extra point, punt e kickof, sendo que estas bolas não são preparadas por nenhum time, elas chegam seladas no locker room.

Sullivan contatou o general manager dos Colts Ryan Grigson, mesmo sem ter nada factual, somente rumores, mas já reclamando que Brady gostava de bolas menores e por isso elas eram esvaziadas. Grigson entrou em contato com a NFL através de Dave Gardi (a pessoa que enviou aos Patriots o email com as informações erradas sobre a pressão das bolas).

Os jogadores não recebem um Game Day Operations Manual

Goodell não deixou que Kessler questionasse Troy Vincent sobre os termos de quem tomou as deciões. Isso é importante porque se Goodell deixou Vincent ou outra pessoa tomar decisões neste caso é uma violação clara ao acordo coletivo dos jogadores.

Outro fato interessante é que Tom Brady foi acusado de violar o Game Day Operations Manual, que de acordo com Vincent é entregue aos GMs e coachs, mas não aos jogadores. Ele mesmo quando foi jogador nunca recebeu um.

E essa é a base da alegação de Kessler, que Brady foi punido pelo Deflategate sem ter sido avisado antes que isso poderia acontecer.

Essa é so uma parte de todo o testemunho, que tem 457 páginas, e deixaremos o link aqui para quem tiver interesse no documento.

O mais importante disso tudo é mostrar o quanto a NFL está sendo injusta durante todo o processo do Deflategate e que não se trata mais sobre bolas murchas.

Compartilhe esta matéria:

Share on facebook
Share on twitter

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O Patriotas é um fã clube oficial no Brasil e reconhecido pelo New England Patriots nos Estados Unidos.

Site desenvolvido pela equipe Patriotas.