O draft dos Patriots pressionou alguns jogadores

Patriots

Draft é geralmente sinônimo de esperança. Todo ano a torcida do New England Patriots aguarda ansiosamente pelo recrutamento e tão logo que este ocorre já começa a imaginar como se encaixarão os novos jogadores.

Para alguns, no entanto, o draft pode significar preocupação. É o caso, por exemplo, de alguns atletas dos Patriots que viram aumentar a concorrência por uma vaga no elenco.

O draft dos Patriots pressionou alguns jogadores

Os Patriots não endereçaram todas as posições no draft 2018. No entanto, alguns jogadores foram selecionados pensando em necessidades unânimes do elenco.

Jogadores dessas posições de necessidade, como ofensive lineman, por exemplo, chegam com certa moral. O que não os dispensa, óbvio, da concorrência pela vaga nos 53 que iniciam a temporada.

Pensando nessa concorrência, alguns atletas dos Patriots devem ter sobre si a pressão aumentada com a chegada dos calouros.

Falemos de alguns exemplos de jogadores que terão vida dura nesse training camp.

Mike Gillislee

Gillislee chegou aos Patriots para ser o substituto de LeGarrette Blount. Corredor de força, esperava-se que ele assumisse a titularidade como “power back” e tivesse uma produção similar ao do nosso querido “búfalo” Blount.

Após alguns jogos promissores, em que não obteve muitas jardas mas se mostrou uma força na redzone, Gillislee foi esquecido por Bill Belichick. Mesmo saudável, não foi relacionado para vários jogos.

Se a situação não era favorável, a chegada do excelente Sony Michel deixou a vida de Mike ainda mais difícil.

Na nossa ótica, Gillislee não concorre com running backs focados em atuar como recebedores (ou 3rd down backs), como James White. A concorrência seria principalmente com o recém-chegado Jeremy Hill.

Em relação especificamente a Michel, a concorrência com Gillislee é desleal. Sony é um running back completo, produtivo tanto no jogo terrestre quanto no aéreo, e essa versatilidade é mais do que Mike pode oferecer.

Gillislee terá que se destacar bastante nessa offseason para conseguir uma vaga no elenco.

Patriots
Foto de Winslow Townson/AP Images for Panini.

LaAdrian Waddle

Waddle foi um dos free agents que teve sua situação valorizada pelos Patriots após a saída de Nate Solder.

Sem o left tackle titular de anos, a renovação de Waddle indicou que o jogador chegou com moral para disputar a titularidade da posição de tackle ao lado de Marcus Cannon.

No entanto, poucas semanas após a renovação, LaAdrian viu sua vida ficar um pouco mais complicada.

Em dois dias, os Patriots draftaram Isaiah Wynn e trocaram por Trent Brown.

Obviamente Bill Belichick gosta de Waddle, senão não teria assinado um novo contrato. No entanto, os jogadores que chegaram trazem fortes trunfos para essa concorrência.

Wynn é um dos melhores prospectos de linha ofensiva desse draft e teve na universidade várias boas atuações jogando tanto de guard quanto de tackle.

Já Brown é um “monstro” fisicamente e, saudável, é um dos melhores tackles da liga na proteção ao passe.

Talvez a situação de Waddle não seja tão grave em relação às chances de ficar no elenco final. No entanto, sua posição no depth chart pode cair bastante a depender do desempenho nos treinos desta offseason.

Patriots
Foto de Kirby Lee/USA TODAY Sports Images.

Cyrus Jones

Aqui temos talvez o jogador mais ameaçado: o tão criticado Cyrus Jones.

Recapitulando sua trajetória, Jones participou de apenas 10 jogos na sua temporada de calouro em 2016, ficando marcado pelos fumbles sofridos como retornador e não se destacando como cornerback.

Em 2017, Cyrus Jones sofreu uma grave lesão no joelho ainda na pré-temporada, perdendo toda a temporada.

No segundo round do draft 2018, os Patriots trouxeram o cornerback Duke Dawson.

Dawson deve concorrer pela vaga de nickelback, devendo ser pensado como um cornerback para atuar no slot. Trata-se justamente da posição em que teoricamente Jones deveria jogar.

A temporada 2018 pode ser a última chance de Jones. Um mau desempenho no camp, aliado a uma possível boa performance de Dawson podem significar o fim da linha para Cyrus nos Patriots.

Patriots

Elandon Roberts

A posição de linebacker é sem dúvidas o maior problema defensivo dos Patriots.

Hightower é um monstro, mas perde muitos jogos por lesão. Van Noy tem se mostrado um jogador sólido. Depois disso, a situação vira um grande ponto de interrogação.

Elandon Roberts é um jogador unidimensional. O linebacker consegue ser efetivo apenas contra o jogo terrestre, não tendo conseguido ajudar o time em jogadas de passe.

Mesmo contra o jogo terrestre Roberts pode ser um ponto fraco na defesa quando não identifica corretamente a jogada ofensiva.

No último draft, os Pats selecionaram dois linebackers: Ja’whaun Bentley (5º round) e Christian Sam (6º round).

Jogadores escolhidos no fim do draft normalmente têm uma árdua batalha para se manterem no elenco final. Na posição de linebacker, entretanto, a concorrência não é das mais ferozes nos Patriots.

Caso Bentley e Sam consigam ser efetivos contra o jogo terrestre e minimamente produtivos contra o passe, complicarão seriamente as pretensões de Roberts.

Patriots


As batalhas no training camp serão duras para os atletas e ótimas de assistir.

Queremos saber sua opinião, torcedor. Qual dos jogadores acima teve a vida mais complicada pelo draft?

Compartilhe esta matéria:

Share on facebook
Share on twitter

Este post tem 2 comentários

  1. Análise perfeita. Bem lúcida, como tem sido todas as opiniões e informações ventiladas no site. Parabéns pelo ótimo trabalho!!!

    1. Obrigado, Gustavo! E obrigado por nos acompanhar.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O Patriotas é um fã clube oficial no Brasil e reconhecido pelo New England Patriots nos Estados Unidos.

Site desenvolvido pela equipe Patriotas.