Está na hora de Bill Belichick ser criticado

bill belichick

Talvez seja muito cedo, foram apenas três jogos na temporada. Talvez eu tenha demorado muito, já que o drama vivido por Malcolm Butler foi em fevereiro. Entretanto, penso que hoje é o momento ideal para criticar (quanta audácia, eu sei) o melhor técnico da história do esportes americanos, Bill Belichick.

Está na hora de Bill Belichick ser criticado

O New England Patriots começou a temporada 2018 com duas derrotas e uma vitória. Nas outras duas ocasiões em que isso ocorreu, na era Belichick, em 2012 e 2001, o time chegou à final da AFC e conquistou o Super Bowl, respectivamente. Contudo, o buraco da equipe de 2018 aparenta ser mais embaixo.

Primeiramente, é notório que o elenco foi mal montado. E, com isso, Bill já tem que ser criticado, afinal, ele é o General Manager da equipe. Os Pats saíram do Super Bowl LII com sua defesa humilhada, após ceder incríveis 41 pontos ao quarterback, querendo ou não, reserva dos Eagles. Todavia, o que deveria ser o estopim para uma mudança, de nada adiantou.

A principal necessidade do time na offseason era claramente na posição de linebacker. Após a free agency ter passado e ninguém ter sido contratado, o foco ficou todo no Draft, onde o time possuía duas escolhas de primeira rodada. No entanto, só fomos ver um LB ser selecionado na quinta rodada, com Ja’Whaun Bentley. O garoto demonstra ter futuro, mas só ele não é capaz de transformar a defesa Patriota. Bill se movimentou muito pouco para uma posição com uma grande lacuna a ser preenchida. Erro grave.

Mudando o lado da bola, o General Manager também falhou na montagem do grupo de WRs. Danny Amendola e Brandin Cooks, os dois melhores do time em 2017, deixaram os Patriots, e ninguém da mesma altura foi contratado. Para piorar, nem a suspensão de Edelman fez o time adotar uma certa urgência com o corpo de receivers.

Muitos nomes foram testados, e houve – realmente – um certo azar: Malcolm Mitchell, Kenny Britt e Jordan Matthews não conseguiram se manter saudáveis. Eles três dariam um belo upgrade no fraco setor que temos hoje, composto por Phillip Dorsett, Cordarrelle Patterson e Chris Hogan. Agora, os Pats têm como última cartada o retorno de Jules na semana 5 e Josh Gordon, recém-contratado, que precisa manter a cabeça no lugar.

A situação dos alvos de Tom Brady poderia ser ainda pior caso uma negociação bombástica se concretizasse na semana do Draft 2018: a troca de Rob Gronkowski. Eu não acreditava que Belichick seria capaz de negociar um dos melhores TEs da história e ainda com anos remanescentes no contrato, mas ele estava determinado a enviar Gronk para outra franquia. E não é só pura especulação da imprensa, o próprio camisa 87 confirmou.

No domingo (23), o confiável jornalista da ESPN, Adam Schefter, informou que já estava praticamente tudo certo para Rob ser trocado para o Detroit Lions. No entanto, o jogador ameaçou New England de se aposentar caso a negociação fosse concluída e se recusou a até atender as ligações dos Lions. Segundo Schefter, os Pats receberiam escolhas de Draft. Na coletiva pós-jogo, Gronkowski confirmou o ocorrido:

“Sim, aconteceu. Brady é meu quarterback. Eu não vou a lugar algum sem ele.”

Toda essa revelação me fez pensar: o que levaria Belichick a trocar o segundo melhor jogador de sua equipe e, com isso, ser obviamente engolido pela torcida e imprensa? É muito difícil, diria que até impossível, decifrar a mente de Bill, mas dá para imaginar que os bastidores dos Pats não andam nos melhores dias, diria até que não andam nos melhores meses.

O artigo publicado em janeiro pela ESPN americana, no qual revelava a tensão na relação Brady-Belichick-Kraft, começa a ser mais compreendido agora: o trio realmente não está na mesma sincronia. E é por isso que o buraco do time de 2018 é muito mais profundo que o de crises anteriores. Não aparenta haver uma unidade entre comissão técnica e jogadores. Os atletas, mesmo passando toda a semana destacando que precisavam ser mais enérgicos em campo, já entraram visivelmente derrotados contra os Lions.

Esse problema não parece ser de agora, e apesar de não querer tocar no assunto Malcolm Butler, pelo tempo já decorrido, é impossível não pensar que ali foi um capítulo marcante da relação de Belichick com seus jogadores. Não venho aqui defender eles, mas me colocar no lugar: quem garante que Dont’a Hightower, Devin McCourty ou Patrick Chung, por exemplo, não sofrerão o mesmo que Butler, que era um dos ídolos da torcida e cornerback titular da equipe.

É inegável que Belichick sempre teve o perfil de “generalzão”, mas ultimamente seu ego está mais forte. A “novela Alex Guerrero” ou os desdobramentos da troca de Jimmy Garoppolo podem ter irritado bastante o coach, mas – no meu ponto de vista – ele perdeu um pouco a mão nestes últimos meses.

Resultado de imagem para belichick and brady
Uma relação de muitos títulos, mas que claramente não vive sua melhor fase.

E agora?

A temporada 2018 começou de forma dramática para o New England Patriots. Dentro de campo, falta talento e há diversos problemas no time, desde a sua montagem. Já fora dos gramados, o casamento de maior sucesso na história dos esportes americanos, infelizmente, aparenta estar mais próximo do divórcio do que das bodas de porcelana.

Contudo, aprendi em 2014 a nunca duvidar de Belichick e Brady, e, por mais que os fatos não me animem, sei do profissionalismo de ambos e do poder de reação desta franquia.

Domingo, contra os Dolphins, no Gillette Stadium, os Patriots terão sua primeira final da temporada, já que uma derrota faria Miami colocar três jogos de frente na ponta da AFC East.

A hora de mudar e deixar as pendências de lado é agora, antes que seja tarde demais.

#WeAreOnToMiami

Compartilhe esta matéria:

Share on facebook
Share on twitter

Este post tem 15 comentários

  1. Acho que a tentativa de trocar o Gronk, era justamente para obter escolhas altas do Draft e obter jogadores para a defesa(edge e lb).

    Não vejo nossa secundária tão fraca como tem sido. O grande problema é o mesmo do ano passado, PASS RUSH.
    Claro, o corpo de WR é o pior em muitos anos, visto que não conseguem fazer uma simples separação para que possam ficar livres para os lançamentos do GOAT.
    Talvez o Julian e Gordon melhorem esse aspecto nas próximas semanas, mas enquanto não tivermos um pass rush bom, não poderemos ter grandes expectativas, visto como nossos linebackers são lentos (sempre foram, mas o pass rusher era melhor).

  2. Athur, parabéns pelo texto e concordo com você. Acho que o do your job parece não surtir mais efeito sobre os jogadores. Vemos isso em campo, um time totalmente apático. Acho que também Josh Mcdanniels pode ter sofrido algo depois da negociação frustrada com os colts. Nunca vi o ataque tão sem criatividade desde que acompanho New England. Algumas chamadas nos dois últimos jogos foram até meio toscas. Nós sabemos que Setembro não diz nada em relação ao que o time vai jogar na temporada, mas me preocupa o fato de declarações de líderes da equipe mostrando um certo descontentamento. Quem acompanha a mais tempo sabe que isso é bem fora do comum. A não escalação de Butler e depois Brady dando apoio a ele. O twitt do Gronk após a saída do Dola, essa declaração do Gronk deixando claro o descontentamento dele com uma possível troca entre outras, me fazem crer que algo grande está para acontecer, infelizmente.

    1. Obrigado!

  3. Eu não considero o BB o maior técnico da história dos esportes americanos.
    Não conheço muitos, mas para mencionar um do basquete, Phil Jackson, o cara tem dinastias por equipes diferentes.

    BB é um excelente treinador, obviamente, mas eu sempre considerei ele, muito mais um produto do Brady do que o contrário.

    Sei que sou minoria nesta opinião, mas faz tempo que a gente não tem uma grande defesa, e é o ataque que resolve. Defesa é a especialidade de BB, acredito que ele mal interfere no ataque, apenas na gerência do elenco, que esse ano foi horrível.

    Gostaria de ver o desempenho de BB após a aposentadora de Brady.

    1. Polêmico, mas tem alguma lógica

  4. Arthur, gostei e concordo com suas ponderações. Inclusive, em lance do primeiro touchdow do Lions, havia um jogador melhor posicionado para cobertura ao Gilmore e ele foi para outra direção.
    Acredito ainda que haja uma fogueira de vaidades muito grande no time, em especial na defesa.
    E o que, afinal de contas, aconteceu com Butler?

    1. Obrigado!

  5. Excelente material Arthur.
    Na minha opinião é incontestável o profissionalismo de todo time dos patriots.
    Porém as escolhas que Bill fez nessa temporada no meu ver deixou o time mais fraco e mais mostrou algumas brechas no nosso ataque já que Cooks está produzindo muito mais nos Rams e Amêndola destacou a diferença entre os pats e os Dolphins.
    Sem contar que NUNCA JAMAIS TROQUE GRONK PELO AMOR DE DEUS.
    Então na minha visão apesar de Bill ser o maior de todos os tempos ele tem muito mais trabalho a fazer do que os jogadores ou seja ele quem tem que entrar no Do your Job esse ano é ele.kkk

    1. Obrigado!

  6. Concordo em absolutamente tudo. BB costuma ser venerado, até com razão, mas sua arrogância já passou dos limites. Ano após ano ele toma decisões que deveriam ser contestadas, mas como Brady acaba carregando o time nas costas essas decisões não são discutidas. Quem garante que uma big play do Butler no SB52 não poderia ter virado o jogo, com virou no SB49 ? Mas não, por puro capricho, já que não houve explicação lógica, BB deixou o cara no banco, com certeza mexendo com a moral da defesa. E como você bem disse, nem depois do vexame no SB ele investiu na defesa. Imaginem como ficou a moral do ataque que deu o máximo em campo e a defesa não fez sua parte. E essa ideia absurda de trocar o Gronk ? como o cara deve ter se sentido depois de dar o sangue ano após ano e ser o segundo melhor ? mais um capricho idiota do BB. Acho que já passou da hora do Kraft intervir.

  7. P.S. E esse desgaste desnecessário com o Brady por causa do Alex ? só para provar quem é que manda ? não a toa Brady disse que não estava sendo devidamente valorizado.

    1. Muito bem lembrado.
      Se me permite P.S2. Um QB que é o maior de todos os tempos e que podia estar recebendo o mesmo salário que o Rodgers em outro lugar porém preferiu ganhar menos para ter um time competitivo. Um verdadeiro GOAT.

      1. Exatamente ! O GOAT, que carrega o time, abre mao do salário merecido e não recebe reconhecimento devido. Que lança 505 y no SB e tem que submeter aos caprichos do BB.

  8. Pegando gancho no comentário da galera chego a uma conclusão: se BB é o especialista em defesa, nem coordenador defensivo temos esse ano, e a defesa vem sendo o problema (digasse de passagem que não é de hoje) a culpa é dele. Ahh, mas ai você vai dizer: Os jogadores que são ruins! Mas o BB é GM também, ele que escolheu os jogadores. Então, 110% culpa dele. Óbvio, não apaga tudo que ele fez de bom, não estamos pedindo a demissão dele. Mas também não dá permissão pra ele avacalhar a franquia. Ele está levantando uma quetão pouco cogitada a alguns anos mais que a essa altura já não é dúvida real: BB fez a carreira do Brady? Ou Brady fez a carreira do BB? Sugestão de matéria pra redação Patriiota. Parabéns Arthur pela matéria!

    1. Obrigado, Fábio! Vamos anotar sua sugestão!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O Patriotas é um fã clube oficial no Brasil e reconhecido pelo New England Patriots nos Estados Unidos.

Site desenvolvido pela equipe Patriotas.