Gostkowski (K) fica com a Franchise Tag

Os Patriots anunciaram nesta segunda-feira que a Franchise Tag foi colocada no kicker Stephen Gostkowski.

Após muitos rumores confusos sobre a tag a equipe anunciou o escolhido. Muitos acreditavam que o safety McCourty seria o jogador destinado mas Bill Belichick mais uma vez seguiu contra a maré.

Com a tag, Gostkowski receberá cerca de $4.5 milhões de dólares de acordo com a regra (120% de seu salário em 2014).

gostkowski

“Stephen tem sido extremamente produtivo e vital para o nosso sucesso desde sua entrada para a equipe em 2006. Usando a tag, teremos tempo para chegar em um acordo bom para os dois lados, esse é o objetivo” disse o porta voz da equipe.

O kicker que jogou sua carreira toda em New England, foi escolhido no quarto round do draft de 2006 e substituiu Adam Vinatieri. Stephen doi o líder em pontos na posição em 2014 com 156 pontos.

Esta não é a primeira vez que os Patriots usam a tag nesta posição, em 2002 e 2005 Adam Vinatieri foi o escolhido.

mccourty

Agora fica a expectativa para o rumo de McCourty, muitos acreditam (nós do Patriotas também) que a escolha de Gostkowski é um indício de que as negociações com o safety vão bem e que a equipe deve anunciar o acordo em breve.

Sim nação Patriota, estamos vivendo dias de angústia com a indecisão sobre a secundária mas não se esqueçam, In Bill We Trust!

 

Compartilhe esta matéria:

Share on facebook
Share on twitter

Este post tem 9 comentários

  1. Juro que o coração pulou um batimento aqui com essa notícia. Eu era um dos que acreditava que a Tag deveria ir no McCourty. Acredito que um safety da qualidade dele é muito mais difícil de se substituir que um Kicker, digo isso sem desmerecer o excelente jogador que é o Stephen.

    Acompanhando as notícias dos Pats eu acreditei que as negociações estavam melhores com o Stephen, outro motivo que pensei que a Tag iria para o McCourty. Agora é como vocês disseram, torcer para que anunciem um contrato com o líder da nossa defesa.

    1. Pois é João, In Bill We Trust!

  2. Felipe,

    Assim como você, eu confio no Bill Belichick. Se ele não tomasse decisões frequentemente corretas o time não se manteria um contender por uma década e meia. Segundo você , “escolha de Gostkowski é um indício de que as negociações com o safety vão bem e que a equipe deve anunciar o acordo em breve.” Torço para que isso aconteça, mas se fosse verdade o McCourty não ficaria dando depoimentos, após a tag no Gostkowski, de que pode ser de que ele não esteja em New England na próxima temporada. Na verdade os depoimentos dele indicam que ele ficou bem confuso, ele tinha certeza de que ia receber a tag. Adoro o McCourty, mas não dá para pagar para ele um salário de Earl Tomas e Jairus Byrd, mas tem um monte de gente disposta a pagar para receber um grande jogador e furar nossos olhos, vide o absurdo que o Broncos pagou pelo Talib. Só que esse ano, além do próprio Broncos, o Jets, Colts, Ravens e Bills também estão precisando de safetys e cada um deles adoraria nos dar uma rasteira. O Patriots joga duro nas renovações e dificilmente um jogador maximiza salário no time.

    1. Rubens, concordo contigo. Até por isso achei estranho eles darem a tag no Stephen, que ficou com um salário de US$ 4,5 milhões. O Vinatieri quando pediu US$ 3,5 milhões de salários os Pats liberaram sem dó e nem piedade.

      Além disso, duvido que se os Pats oferecessem algo próximo de US$ 4 milhões o Stephen iria recusar.

      Porém, reforço o que você disse antes, confiamos no Bill, até porque nós já chegamos nos playoffs com uma das piores defesas da Liga, se tivermos uma defesa mais ou menos ainda temos chances de levar o Super Bowl esse ano.

  3. Concordo contigo João, US$ 4 milhões o Stephen e o fechava certo, mas isso é algo que é apenas especulação nossa, o pessoal do NE sabe o que faz. Mas na boa, o Gostkowski não é o melhor K da liga, e vai ser pago como tal. Ele é muito bom, mas eu não tenho tanta confiança nele para chutes acima de 50 jardas. o Vinatieri velho ainda está jogando muito e ganhando uma mixaria no Colts.

    Mas para mim o movimento mais enigmático foi ao extensão do contrato do Marcus Cannon em dezembro pagando 2,6 milhões em 2015 e 4,6 milhões em 2016. Tudo isso para um backup com o cap estourado? Para mim, isso indica que o time vai declinar da opção de quinto ano do Nate Solder e colocar o Cannon no LT. Não é negócio cortar o Vollmer, a economia seria de apenas 2,8 milhões e o alemão jogou muito mais que o Solder no ano passado. O Solder permitiu um número exagerado de sacks (7 se não me engano) e hits para um esquema de jogo de passes rápidos. É simplesmente certo que o Wilfork será cortado, e mesmo assim a conta não vai fechar se o corte do Solder ou um monte de reestruturações.

    1. Solder não vai ser cortado. Ele e Vollmer seguraram bem as pontas como tackles. Acredito que Cannon teve o contrato extendido como garantia, afinal, é o único reserva de bom nível de Solder e Vollmer. Se um deles se contundir, quem entraria como tackle? Por enquanto só temos Cannon.

  4. Sidney esse é o argumento que tem se falado, mas o meu ponto é nós não temos dinheiro para renovar com os titulares, quanto mais pagar essa grana para um reserva. No ataque não temos reserva de bom nível em nenhuma posição a mais além do tackles. Mas você está errado quanto ao desempenho do Solder…..ele não segurou as pontas bem, foi mal na temporada regular e melhorou só nos playoffs. Se números absolutos ele não foi bem, pioram se considerarmos os planos de jogo que adotamos de soltar logo a bola.
    De qualquer forma, a questão é a seguinte, se conseguirmos reestruturar o contrato do Revis para 14-15 milhões e com o McCourty por uns 9 milhões ainda estaremos acima do teto, lembrando que ainda são necessários uns 4,5 milhões para fechar os contratos dos calouros. Mesmo cortando o Wilfork não será o suficiente e ainda precisamos contratar um left guard titular (ou renovar com o Connoly), renovar com o Branch e o Siliga na linha defensiva como soluções razoáveis e baratas. Ou seja, mesmo um suposto o corte do Wilfork (ele não vai aceitar um corte considerável) ainda serão necessários mais uns 10 milhões de corte ou reestruturações jogando bônus lá na frente, gerando problema para o ano que vem. Assim, vai sobrar para Browner, Mayo ou Solder, pois a economia com o corte ou restruturações do Amendola será pequena. O problema e que mesmo se o Mayo aceitar um pay cut, se o time quiser, ano que vem teremos problemas com a opção de quinto ano do Chandler Jones e Hightower, o time mostrou que há vida sem Mayo, apesar da importância dele no vestiário. As atuações do Browner no final da temporada melhoraram muito com a diminuição das faltas e ele mostrou valor em anular no segundo tempo do Super Bowl aquele gigante desconhecido que estava nos matando.
    Por fim, são essas dúvidas na construção dos times é que deixam a pós temporada da NFL tão legal.

    1. Continuo discordando em relação a Solder. Cedeu 5,5 sacks em 16 jogos de temporada regular e não cedeu nenhum nos playoffs. Pra mim isso é uma marca excepcional para um offensive tackle, ainda mais levando-se em conta que em vários jogos o ataque dos Patriots praticamente só passa, não corre com a bola. A linha ofensiva tropeçou durante a temporada em seu interior, na posição de guard e de center quando Stork não estava em campo. Mas Solder e Vollmer seguraram bem sim. E não estou sozinho nessa: http://www.patspulpit.com/2015/2/13/8035893/patriots-offensive-line-coach-dave-deguglielmo-loves-nate-solder

  5. Sidney, o staff do Patriots também ama o Wilfork, Mayo, etc. A questão é que mesmo assinando como o Revis e McCouthy por 24-25 milhões ainda precisaremos cortar uns 15 milhões e os contratos com poucas garantias, ou nenhuma, como o do Solder, Browner e Wilfork são os mais visados. O que eu digo que não faz sentido é assinar uma extensão pagando um salário para um backup que 1/3 dos titulares não ganham se não tiver um movimento a mais. Para 2015, o Wendell e Stork não ganham o que o Cannon ganha, e se renovarem o o Connolly ele também não vai ganhar. Para 2016 o salário do Cannon é o oitavo maior dos contratos em vigor do time. Isso para um reserva? Qual o sentido nisso? É sempre bom garantir bons reservas em posições chave, mas normalmente isso se faz pagando um salário mínimo para algum veterano ou acertando nas seleções do Draft, não estendendo o contrato de um reserva com valor de titular. Ok, podemos sempre cortar e pagar o prorated…. mas é ficar queimando dinheiro

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O Patriotas é um fã clube oficial no Brasil e reconhecido pelo New England Patriots nos Estados Unidos.

Site desenvolvido pela equipe Patriotas.