Balanço Geral: Free Agency e Draft

Antes do início da free agency e do draft, os Patriots tinham necessidades estabelecidas. Com o fim do draft e com todos os bons free agents não mais disponíveis, é hora de olhar em quais posições conseguimos suprir nossas deficiências e necessidades.

Balanço Geral: Free Agency e Draft

Antes de começar as análises, vamos relembrar as necessidades dos Patriots no início da offseason:

-RB
-OT
-WR
-CB
-LB
-DT

Running Backs:

Via free agency: LeGarrette Blount, James Develin e Donald Brown.

Via draft: D.J. Foster (UDFA).

Balanço: Após a lesão de Dion Lewis, que estava fazendo uma brilhante temporada, o ataque terrestre dos Patriots ficou ineficiente até o fim do ano. Com vários nomes disponíveis na free agency, o time acabou somente renovando com Blount e Develin, e trazendo uma ex-escolha de primeiro round, que não rendeu nem perto do previsto nos Colts. No draft, o time teve diversas oportunidades de escolher bons corredores até o 5°round, porém não aproveitou nenhuma delas.

Resultado: Necessidade não suprida.

Offensive Tackles:

Via free agency: Cameron Fleming e LaAdrian Waddle.

Via draft: Ninguém.

Balanço: A linha ofensiva foi o setor que mais sofreu ano passado, seja por conta das lesões, ou pela inexperiência dos rookies. Com o contrato do RT titular, Sebastian Vollmer, expirando no fim desta temporada, a chegada de um novo tackle era uma necessidade alta para a offseason. Na free agency, o time só fez renovar com Fleming e Waddle. No draft, pior ainda, não trouxemos ninguém. Com isso, o backup imediato dos Tackles será Marcus Cannon. Haja coração!

Resultado: Necessidade não suprida.

Wide Receiver:

Via free agency: Chris Hogan e Nate Washington.

Via draft: Malcolm Mitchell e Devin Lucien.

Balanço: Ao longo da temporada de 2015, Brady sofreu com seus alvos, principalmente quando Julian Edelman e Danny Amendola se lesionaram, e com as más atuações de Brandon Lafell. A falta de jogadores para rotas longas também foi um problema para a equipe. Na free agency, o time trouxe o sólido Chris Hogan, ex-Bills, que deverá ser o terceiro recebedor, e Nate Washington, que disputará uma vaga no elenco principal. No draft, a equipe fez boas escolhas, como Mitchell, que irá brigar para ser o terceiro recebedor, e Lucien, que poderá ser uma surpresa.

Resultado: Necessidade suprida.

Cornerback:

Via free agency: Justin Coleman e E.J. Biggers.

Via draft: Cyrus Jones e os UDFAs V’Angelo Bentley, Jonathan Jones e Cre’Von Leblanc.

Balanço: Os corners dos Patriots surpreenderam em 2015, com atuações melhores do que se imaginavam. Porém, o time sofreu com jogadas no slot, pela falta de um jogador específico para essa função. Na free agency, os Pats renovaram com Justin Coleman, que deverá ser o quarto CB da equipe, e contrataram E.J. Biggers, para brigar no camp por uma vaga no elenco principal. No draft, a equipe usou sua escolha mais valiosa para draftar Cyrus Jones, que irá ser o terceiro corner e suprir a necessidade no slot. New England ainda assinou com três UDFAs.

Resultado: Necessidade suprida.

Linebacker:

Via free agency: Shea McClellin, Ramon Humber e Rufus Johnson.

Via draft: Kamu Grugier-Hill, Elandon Roberts e C.J. Johnson (UDFA).

Balanço: O depht dos LBs precisa ser profundo, para poder dar conta das lesões que ocorrem durante a temporada, fato que não ocorreu com os Pats em 2015. Tendo Jonathan Freeny como o backup imediato, a equipe tinha que trazer um jogador que passasse mais confiança. Na free agency, a franquia renovou com Johnson e trouxe Humber para brigar no camp. McClellin foi uma das principais contratações, podendo se alinhar como OLB e DE. No draft, a equipe usou os late rounds para aprofundar o depht, assim como fez na contratação do UDFA.

Resultado: Necessidade suprida.

Defensive Tackle:

Via free agency: Terrance Knighton, Joe Vellano e Markus Kuhn.

Via draft: Vincent Valentine e Woodrow Hamilton (UDFA).

Balanço: Com a inesperada dispensa de Dominique Easley, o time precisava trazer um jogador que pressionasse o quarterback no meio da linha. Porém, Belichick preferiu trazer jogadores mais pesados. Na free agency, os Pats contrataram Vellano e Kuhn para brigarem no training camp, e Knighton para melhorar a rotação da linha, sendo ele uma boa contratação. No draft, o time usou uma escolha de 3°round para trazer o pesado Valentine, que também irá participar da rotação. Hamilton veio para acirrar a briga por uma vaga no elenco principal.

Resultado: Necessidade suprida.

Balanço Geral:

Os Patriots fizeram uma das melhores free agency da equipe dos últimos anos, sendo um time ativo durante quase todo o ápice dela. Com duas trocas boas, principalmente a de Martellus Bennett, o time mostrou que irá fortíssimo para a temporada 2016. Já no draft, o nível caiu um pouco (mais uma vez), com escolhas inusitadas e reachs. Com o elenco que temos hoje, somos favoritos a conquistar a AFC.

NOTA (Free Agency + Draft): 7

Acompanhe o Patriotas no twitter!

Compartilhe esta matéria:

Share on facebook
Share on twitter

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O Patriotas é um fã clube oficial no Brasil e reconhecido pelo New England Patriots nos Estados Unidos.

Site desenvolvido pela equipe Patriotas.