Não aprendi dizer adeus… muito obrigada, Tom Brady.

Tom Brady Gilettel

Na última terça-feira (17), fomos surpreendidos (ou nem tanto), com a partida de Tom Brady do New England Patriots. Aqui tentarei escrever o que, para mim, representou Brady nos Patriots. Espero que você que esteja lendo se identifique de alguma maneira.

Não aprendi dizer adeus, mas MUITO OBRIGADA Tom Brady!

Você já deve ter me ouvido em algum Podcast Patriotas, onde já falei que minha relação com o New England Patriots começou por causa de Rob Gronkowski. Mas confesso, não demorou muito e Tom Brady entrou nessa equação.

Comecei a acompanhar NFL nos playoffs da temporada 2015-16 e comecei a efetivamente torcer para os Pats após aquela amarga derrota na final de Conferência contra o Denver Broncos, lá no Mile High. Essa offseason foi realmente um teste de paciência e onde adquiri sabedoria para torcer para e pelos Patriots.

Na temporada seguinte, Brady cumpriria 4 jogos de suspensão pelo famigerado deflategate. E foi aí que comecei a entender tudo o que esse homem significava para os Patriots. Lembro do seu jogo de retorno, não foi no Gillette. Foi um Patriots x Browns lá em Cleveland, onde Brady lançou para 3 TDs.

Foi uma boa temporada aquela, apesar de Gronk na IR. Com um recorde 14-2, o time passou pelos playoffs e chegou ao Super Bowl LI. E foi ali que eu entendi tudo. O que Tom Brady significava para o New England Patriots e sua história, o que Tom Brady significava para a NFL, o que Tom Brady significava para o esporte.

Indubitavelmente, o MAIOR de todos os tempos.

O cara que foi a 199ª escolha na sexta rodada do Draft. Recebeu uma chuva de críticas pelo porte físico, por ser lento demais, não ter mobilidade e, quem diria, falar da falta de mobilidade de Tom Brady seria uma dar formas mais carinhosas de nós, torcedores, falarmos dele.

Quem diria, que um jogador que não tinha boas avaliações, não tinha perspectiva de sucesso pelos especialistas, assumiria a titularidade depois de uma lesão do QB titular e em 23.07.2001, começaria a escrever uma história. E que história bonita!

Inesperadamente, o garoto da sexta rodada conduziu o time ao Super Bowl e… VENCEU! Tornando-se o jogador mais novo a vencer um Super Bowl, com 24 anos. Quem assistiu aquele jogo contra o St. Loius Rams viu o começo da dinastia sendo escrito.

Foram 9 idas ao Super Bowl, tendo saído vitorioso por 6 vezes. Não posso falar por Brady, mas posso falar por mim, e considero o Super Bowl LI o mais especial. Por tudo que Brady enfrentou no ano, com a suspensão, com a doença de sua mãe, Galynn, com quem o jogador sempre deixou clara a ligação absurda; sendo um dos protagonistas da maior virada dos esportes e terminar a partida como MVP do Super Bowl. Quando a saudade apertar, é o jogo pelo qual vou me lembrar em como Brady é um jogador especial e o maior de todos os tempos.

O grito entalado na garganta de Tom Brady após a vitória no Super Bowl LI.
Créditos: Kevin C. Cox/Getty Images

Afinal, Tom Brady não era o melhor quando chegou na liga, não tinha um “talento natural”, mas sua força de vontade, sua disciplina, o seu foco, o fizeram ser o melhor de todos os tempos. Brady é o modelo da Patriot Way, e como bem disse Kyle Van Noy em seu texto de agradecimento e despedida, Tom Brady ensinou com o trabalho árduo que sempre mostrou dentro e fora de campo.

Obrigada, TomTom!

Ao mesmo tempo em que Tom Brady foi criando ao seu legado, o QB sempre foi agregador e Mr. Nice Guy. Não tem um jogador que tenha dividido vestiário com Brady que não fale bem dele. Sua generosidade com os colegas sempre foi reconhecida e o “Hi, I’m Tom!” tão falado por todos que chegam aos Pats, mostra que você ser o maior vai muito além de ser apenas um bom jogador dentro de campo.

De todas as despedidas, a que mais me marcou foi a de Bill Belichick, principalmente na parte onde ele diz que “às vezes na vida, leva algum tempo para realmente se apreciar algo ou alguém, mas esse não foi o caso de Tom. Ele é uma pessoa especial e o maior quarterback de todos os tempos.”

De fato, Tom Brady é isso. Persistente, insistente, disciplinado, generoso, amigo, família. IMPLACÁVEL.

Tom Brady e Vivian Lake no Super Bowl LIII.
Créditos: Getty Images

Nunca imaginei vê-lo jogar em outra franquia e do fundo do meu coração, torci muito para ele ser jogador de uma franquia só, mas a vida é isso. Acho que nenhum de nós conseguirá traduzir em palavras tudo o que Tom Brady significa para nós. Todo o carinho, admiração e amor que nasceu em nós em assisti-lo defender de maneira tão magistral o nosso Patriots.

Gostaria de escrever muito mais, mas não consigo.

Obrigada, TomTom, pelos momentos felizes, pelos momentos tristes, por nos mostrar que sim, você ainda não estava velho o bastante para vencer mais um Super Bowl. Obrigada por fazer com que eu gostasse tanto e sentisse tanto prazer em parar tudo para assistir um esporte e torcer para um time. Obrigada pelos 20 anos de dedicação a dar o seu melhor por você e por nós. Obrigada por todas as pessoas que conheci através de você e por tantos momentos legais que vivi desde então. Obrigada, por TUDO! Nunca um jogador fez tanto por uma franquia como você fez pelo New England Patriots e nunca uma franquia fez tanto por um jogador quanto o New England Patriots fez por você! Seja feliz em seu novo caminho. Esperamos o seu retorno naquele contrato de um dia para se aposentar nos Pats e lhe proporcionar todas as festas e homenagens que você merece. Não se esqueça de trazer Vivian Lake com você! Forever a Patriot.

Com carinho. <3

Compartilhe esta matéria:

Share on facebook
Share on twitter

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O Patriotas é um fã clube oficial no Brasil e reconhecido pelo New England Patriots nos Estados Unidos.

Site desenvolvido pela equipe Patriotas.