Rafael Belattini: Patriots com problemas dentro e fora de campo

New England Patriots Bill Belichick NFL

Podemos reclamar de muitas coisas nesta temporada dos Patriots, mas nunca poderemos dizer que ela foi insossa.

Afinal, acho que nesta semana eu já mudei umas três ou quatro vezes o tema desta coluna antes de começar a escrevê-la. Infelizmente, nenhum desses temas colocaria um sorriso no rosto de quem está lendo.

Voltaremos a criticar o ataque? Oras, ao menos dessa vez não podemos dizer que Josh McDaniels não explorou jogadas diferentes. Está claro que o problema não é o playbook, mas sim… todo o resto. Uns mais, outros menos, mas todos têm culpa (até Brady).

Mas a semana merece assuntos que têm mais a ver com o fora de campo do que com o campo. Então vamos a eles, de trás para frente.

À MULHER DE CÉSAR…

Como se não bastassem todos os problemas nesta temporada, a semana começou com a possibilidade de mais um “Gate” na vida de New England. Dessa vez com ares de nostalgia e uma pitada de piada: gravações ilegais para “roubar” segredos do Cincinnati Bengals.

A piada nem precisa ser explicada, mas será que é realmente necessário trapacear para vencer o próximo jogo, contra o pior time da temporada?

Já a nostalgia é pelo Spygate – se você não conhece, é o escândalo de gravações ilegais da sideline dos adversários para identificar chamadas e padrões dos rivais, descoberto na década passada e que custou a primeira escolha no draft de 2008, além de multas aos Patriots e ao técnico Bill Belichick.

Desta vez a explicação foi que aqueles que filmavam ilegalmente a lateral do campo pertenciam à uma equipe terceirizada, contratada para a produção da webserie Do Your Job. É totalmente plausível, mas a franquia já perdeu o benefício da dúvida.

É improvável que Belichick tenha feito toda esta nova trama e se arriscado em um dos jogos mais fáceis da temporada, por mais desesperador que o momento pareça e por mais que eu acredite que Cincinnati possa dar certo trabalho para esse ataque tão disfuncional.

Como a franquia não é mais ré primária, cabe a velha história: “À mulher de César não basta ser honesta, tem que parecer honesta”. Os Patriots foram, no mínimo, desleixados ao permitirem tal incidente. A imagem da franquia definitivamente não precisa de mais esta polêmica, pois já ficou bem claro com o Deflategate que vindo de Foxboro é muito mais complicado alguém se convencer de uma explicação.

A prova disso é que já rolam os comentários de que Belichick “não seria tão burro assim” ao deixar uma equipe terceirizada colocar o time em uma situação tão complicada e também de que “ninguém engole essa desculpa”.

Agora, se Bill Belichick realmente preparou um jeito de roubar estes sinais deve perder totalmente a imagem de “gênio”, pois o responsável pelas filmagens foi avistado e identificado por estar com uma chamativa blusa do Boston Bruins ao lado do equipamento focado na lateral. Dava para ser mais discreto, não?

SEM ESQUECER DA ARBITRAGEM

Toda a polêmica da filmagem fez sumir rapidamente do noticiário a enormidade de erros da arbitragem contra os Patriots no domingo, no revés contra o Kansas City Chiefs.

Brady afirmou, e eu concordo, que não dá para colocar na conta da arbitragem a culpa pela derrota.

A primeira campanha foi bonita, com 83 jardas (39 delas conquistadas em faltas) que terminou com um flea flicker e o passe de 37 jardas para touchdown de Julian Edelman. Depois, foram 11 posses e em apenas três delas o ataque caminho pelo menos 45 jardas.

Mas é também inegável o prejuízo que o apito causou. Desde a primeira descida marcada na linha de 40 que levou ao primeiro desafio (o jogador jamais ultrapassou a linha de 39), passando pela necessidade de desafiar o fumble, perder o retorno do Gilmore, o touchdown do N’Keal Harry e encerrando com um flagrante OPI que deixaria o time em situação de 1ª para TD com um bom tempo no relógio.

De qualquer forma, o time foi mal mais uma vez e a vitória poderia apenas mascarar uma má atuação, camuflando com uma “superação”.

VAIAS PRA QUE TE QUERO

Vendo mais uma fraca atuação do time, com field goal bloqueado, interceptação e derrota parcial por 20 a 7, a torcida no frio do Gillette Stadium perdeu a paciência e vaiou.

Foi o bastante para que as redes sociais entrassem em ebulição, apontando como a torcida seria mimada e mal-acostumada. Oras, não deixa de ser verdade.

Se o torcedor dos Redskins já não se incomoda com atuações ruins pois elas são o atual padrão, azar o deles. Em Foxboro, há quase duas décadas, a régua subiu e ninguém pensa em baixar o nível.

O intuito do jogo é ganhar, ganhar e ganhar, então está certa a torcida que cobra atuações boas o suficiente para ganhar. No segundo tempo, com uma melhora e ficando sem um destino melhor por conta da arbitragem, a torcida não vaiou o time e isso mostra que não é uma cobrança apenas por placar, mas por atuação.


Rafael Belattini

Rafael Belattini é jornalista com passagem pela ESPN e cobertura de dois Super Bowls. No Patriotas, Belattini escreve sua coluna semanalmente para falar sobre o seu time do coração, o New England Patriots. Siga Rafael Belattini no twitter.

Compartilhe esta matéria:

Share on facebook
Share on twitter

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O Patriotas é um fã clube oficial no Brasil e reconhecido pelo New England Patriots nos Estados Unidos.

Site desenvolvido pela equipe Patriotas.