Rafael Belattini: Problemas no paraíso

Rafael Belattini New England Patriots Tom Brady NFL

Não peça para ninguém mais entender, mas é completamente cabível um torcedor do New England Patriots estar absolutamente preocupado com o time mesmo com um 5-0 na temporada. First world problems? Quase isso.
Afinal, só um dos cinco rivais até aqui apresenta uma campanha positiva e a vitória sobre o Buffalo Bills não dá para classificar como dominante, certo? E se a franquia se propõe a ganhar ano após ano, tem que esperar as cobranças.
E o que dizer do primeiro tempo do jogo contra o fraquíssimo Washington Redskins, que era apontado como zebra no domingo por 16 pontos e na próxima semana deve duelar com o Miami Dolphins pela primeira escolha no próximo draft?

FORA DA LINHA

A principal preocupação certamente é a linha ofensiva, que permitiu quatro sacks – todos no primeiro tempo – para uma defesa que só tinha conseguido cinco na temporada. Tom Brady
também foi atingido nove vezes, ambos os números sendo a maior marca da temporada.
O quarterback ainda conseguiu 348 jardas, três passes para TD, mas as coisas só clarearam realmente no segundo tempo, quando Sony Michel também conseguiu funcionar bem e
terminar com 16 corridas para 91 jardas e um TD.
O left tackle Marshall Newhouse, que foi o responsável por dois dos sacks sofridos, foi bem ao admitir que muito trabalho precisa ser feito e o bom é que o time ainda tem conseguido
ganhar apesar dos problemas. Mas ainda não vimos nenhuma evolução.

AQUELA SINTONIA FINA COM OS RECEBEDORES

Apesar dos problemas com a linha e as muitas oportunidades em que Brady teve que se livrar da bola para não ser sacado, Julian Edelman terminou o jogo com 110 jardas e oito recepções, aliviando o medo de que o camisa 11 estivesse sofrendo com problemas físicos.
Brady começou o jogo deixando o jogo terrestre completamente de lado, mas no primeiro tempo foram três campanhas que terminaram em punt, uma com o turnover on downs, dois
field goals, uma interceptação e um TD, e novamente problemas na red zone.
Por centímetros de imprecisão, Josh Gordon não anotou o primeiro TD do jogo com um passe longo de Brady, mas esse é o exemplo de que as coisas ainda precisam se ajustar nesse ataque.
Dorsett, por exemplo, sequer foi alvo, mas isso é algo que gera mais preocupação apenas se acontece em dezembro.

NUGENT IS THE NEW GOSTKOWSKI

Toda canção romântica diz que é “preciso perder para dar valor”. Por mais que Stephen Gostkowski atualmente não nos desse nenhuma garantia como outrora, ele era um dos kickers mais confiáveis da liga e vamos lamentar sua ausência.
Mike Nugent foi o escolhido para a posição que neste século só foi de Adam Vinatieri e Gost e, como cartão de boas-vindas, errou um extra point após o primeiro TD do jogo. Mesmo com os acertos depois, a mensagem já foi dada.

UMA DEFESA QUE NOS FAZ SORRIR

Eu poderia focar em mais uma demonstração de problemas com tackles – que já aconteceu na semana passada, contra os Bills – no touchdown terrestre de Steven Sims. Mas já temos
preocupações demais e é hora de apreciar aquilo que estamos realmente fazendo bem.
Seja quem for que esteja chamando as jogadas – repararam como a transmissão hora mostra Bill Belichick, ora Stephen Belichick e também Jerod Mayo? – o trabalho está sendo muito bem feito deste lado da bola.
É claro que o ataque dos Redskins não é um espetáculo, mas é possível observar a defesa identificando rapidamente o que vem pela frente e conseguindo provocar turnovers.

SEMANA CURTA PARA JOGO IMPORTANTE

Patriots e Giants nunca será “mais um jogo” por motivos que nenhum de nós gosta de lembrar. Por isso, esta partida de quinta-feira estava circulada na agenda de muita gente, com ou sem Eli Manning em campo.
Novamente os Patriots serão favoritos em todas as bolsas de aposta, como deve ser pelo menos por mais uma semana, e uma vitória em casa é quase que obrigação.
Se o “W” é esperado e será cobrado, o torcedor também quer ver uma evolução no setor ofensivo da equipe, que começou a temporada prometendo muito e ainda não engrenou.


Rafael Belattini

Rafael Belattini é jornalista com passagem pela ESPN e cobertura de dois Super Bowls. No Patriotas, Belattini escreve sua coluna semanalmente para falar sobre o seu time do coração, o New England Patriots. Siga Rafael Belattini no twitter.

Compartilhe esta matéria:

Share on facebook
Share on twitter

Este post tem um comentário

  1. Eu nao acredito q eu dei um clique pra esta merda.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O Patriotas é um fã clube oficial no Brasil e reconhecido pelo New England Patriots nos Estados Unidos.

Site desenvolvido pela equipe Patriotas.